Destroços de sonda russa caem no Pacífico, próximo à costa chilena

Imagem da sonda Phobos-Grunt em queda, captada por radar alemão Direito de imagem FRAUNHOFER FHR
Image caption A imagem do satélite em queda foi captada pelo radar alemão TIRA (Tracking and Imaging Radar)

Destroços da sonda Fobos-Grunt, que fracassou em sua missão de chegar a Marte, caíram na tarde deste domingo no Oceano Pacífico, próximo à costa do Chile.

A nave é uma das mais pesadas e mais tóxicas que já caíram na Terra, ainda que a agência espacial russa tenha dito que a maior parte do veículo tenha se incinerando na entrada da atmosfera.

De acordo com agências de notícias russas, os destroços caíram a cerca de 1.250 quilômetros da ilha Wellington, na costa sul do Chile.

Um dos últimos relatórios divulgados pela agência espacial russa antes da queda gerou temores na Argentina, pois dizia que ela poderia cair na cidade de Rosário, a 300 quilômetros da capital Buenos Aires.

De acordo com o órgão, o que sobraria da espaçonave ficaria dividido em 20 a 30 pedaços, com um peso total não superior a 200 quilos.

Missão ambiciosa

A sonda foi lançada em novembro com o ambicioso objetivo de recolher rochas de uma lua de Marte e trazê-las de volta para a Terra.

Direito de imagem AP
Image caption A sonda Phobos-Grunt foi lançada no ano passado, mas a missão fracassou

No entanto, a Fobos-Grunt teve problemas logo após seu lançamento, a 345 quilômetros de sua base.

Esta é a terceira espaçonave importante a reentrar na atmosfera em quatro meses, após os retornos do satélite americano UARS, em setembro, e do telescópio alemão Rosat em outubro. Ambos caíram no oceano.

Notícias relacionadas