Sobrevivente de naufrágio diz que marido salvou sua vida antes de morrer

Costa Concórdia (AFP) Direito de imagem AFP
Image caption Equipes ainda buscam desaparecidos no Costa Concórdia

A viúva de um francês que morreu no naufrágio do cruzeiro Costa Concordia disse o marido salvou sua vida, deixando que ela ficasse com o único colete salva-vidas que tinham e fazendo com que ela pulasse na água durante a tragédia.

"Eu devo minha vida a meu marido", disse Nicole Servel à rádio francesa RTL.

"Meu marido disse para eu pular na água. Nos abraçamos, eu pulei e não o vi mais. Eu tinha um colete, mas ele não. Não havia coletes suficientes e não tínhamos tempo de voltar à cabine para procurar um."

Nicole disse ter relutado em entrar na água, porque não sabia nadar. Depois que ela pulou, o marido, Francis Servel, teria dito para ela não se preocupar e que ele "iria se virar".

Nicole teve então de enfrentar as ondas e a temperatura da água, que era de apenas oito graus.

"Eu fiquei sozinha, à deriva. Pensava nos meus filhos para tentar me manter viva", disse ela ao jornal Lá Dépêche du Midi.

Presente

A viagem no cruzeiro havia sido presente dos filhos, Éric e Edwige, pelo aniversário de 60 anos de Nicole, que vive em Toulouse.

A família Servel criticou a tripulação, dizendo que não havia um procedimento de emergência e que alguns dos tripulantes abandonaram o navio antes mesmo dos passageiros.

"Não havia ninguém para salvar meu marido... Estávamos sozinhos", disse Nicole.

Ela diz ter ficado na água até chegar a algumas pedras, de onde foi resgatada por moradores locais e levada para uma igreja para se recuperar.

Ontem, a filha do casal Edwige e seu marido estavam em Grosseto, na Itália, para reconhecer oficialmente o corpo de Francis Servel.

Notícias relacionadas