Secretário da Fifa pede desculpas ao Brasil após criticar atrasos na Copa

Atualizado em  5 de março, 2012 - 21:48 (Brasília) 00:48 GMT
Jerome Valcke. | Foto: Getty

Valcke atribuiu o mal estar a um problema de tradução e pediu desculpas a Aldo Rebelo

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, enviou nesta segunda-feira uma carta pedindo desculpas ao governo brasileiro dias após dizer que organizadores da Copa de 2014 precisam de um "chute no traseiro", em referência a atrasos nas obras.

O pedido de desculpas chegou como resposta à comunicação na qual o governo brasileiro pediu formalmente à entidade um novo interlocutor para os assuntos do mundial.

"Recebemos com espanto as inapropriadas declarações do senhor Jérôme Valcke nos últimos dias à imprensa internacional. A forma e o conteúdo das declarações escaparam aos padrões aceitáveis de convivência harmônica entre um país soberano como o Brasil e uma organização internacional centenária, como a Fifa", assinou o ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Os trechos foram reproduzidos pela Agência Brasil.

Em sua resposta, Valcke atribuiu o mal estar a um problema de tradução. Segundo a autoridade da Fifa, "chute no traseiro", em francês, significaria "acelerar o ritmo".

"Gostaria de pedir desculpas ao senhor (Rebelo) e também a qualquer pessoa que tenha se sentido ofendida com as minhas palavras. Há certamente um ar de preocupação na Fifa e, sendo eu, em última análise, a pessoa responsável por essa Copa do Mundo, estou sob bastante pressão", disse Valcke.

O secretário da Fifa diz ainda ter "imenso respeito e admiração" pelo Brasil.

Na última sexta-feira, Valcke disse que os organizadores brasileiros estavam mais preocupados em ganhar a Copa do que em organizá-la.

"O que é a Copa do Mundo para o Brasil, organizar a Copa ou vencer a Copa? Eu acho que é vencer a Copa. Quando você pensa na África do Sul, eles estavam mais preocupados em organizar do que em vencer", disse.

Valcke também criticou a falta de infraestrutura aeroportuária e hoteleira das cidades sedes da Copa de 2014.

Lei Geral da Copa

A comissão especial de deputados federais que analisa a Lei Geral da Copa (PL 2330/11) adiou para esta terça-feira a votação dos dez destaques ao relatório do deputado Vicente Candido (PT-SP).

O texto-base do projeto já foi aprovado, mas os deputados ainda precisam votar dez itens de destaque, antes de enviar o texto para o Plenário da Câmara e para o Senado.

Entre os assuntos a serem tratados está a venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante as partidas da Copa do Mundo de 2014. Três dos dez destaques pedem que seja retirada a permissão para a venda.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.