Menino que não pode comer fritas receberá rim da avó

Stevie com os pais, Gemma e John
Image caption Pais ainda poderão doar rins a Stevie no futuro em caso de necessidade

O menino britânico Stevie Plavecz-Maples, de 4 anos, nunca comeu batatas fritas, nunca foi a uma piscina e não pode nem mesmo tomar um banho de banheira.

Seu corpo não consegue processar certos alimentos e ele precisa usar um cateter para diálise que o impede de entrar na água.

Mas sua vida pode ser completamente mudada graças à ajuda da avó, Tracy, de 48 anos, que se prontificou a doar um de seus rins ao neto.

Stevie nasceu com um bloqueio na uretra que levou a uma doença renal crônica (DRC) em estágio avançado. Seus rins pararam de funcionar, e sua única esperança de uma vida normal é um transplante.

O menino atualmente é obrigado a passar por seis sessões semanais de diálise. Ele fica ligado à máquina por dez horas em cada sessão.

Stevie já havia passado por um transplante de rim em janeiro de 2011, mas o novo órgão parou de funcionar por causa de um coágulo sanguíneo.

Compatibilidade

Image caption Para Tracy Plavecz, poder ajudar o neto é 'uma sensação muito boa'

Quando a mãe de Stevie, Gemma, de 28 anos, e seu pai, John, de 31, foram a uma clínica para verificar se poderiam doar seus rins ao filho, Tracy, mãe de Gemma, pediu para ir junto.

Ela também foi testada e descobriu a compatibilidade de seu órgão com o neto.

Segundo médicos, é uma prática comum testar os membros mais velhos de uma família primeiro para verificar a compatibilidade para um transplante.

Se o rim transplantado falhar no futuro, os membros mais jovens da família ainda estarão em condições de doar se tiverem compatibilidade.

Normalmente, os transplantes de rim duram apenas entre 10 e 15 anos, então é provável que Stevie necessitará de vários transplantes ao longo de sua vida.

“Eu somente pensei que poderia dar ao meu neto uma melhor qualidade de vida. É uma sensação muito boa pensar que posso fazer isso por ele”, afirma Tracy.

Os médicos esperam que o transplante seja realizado em maio.

‘Um monte de batatas’

Image caption Stevie precisa hoje passar por seis sessões semanais de diálise de dez horas cada

Os pais de Stevie dizem que o menino está ansioso pelo transplante. “Ele sabe que tem rins que não funcionam e entende quando eu digo a ele que não pode comer algumas coisas”, observa Gemma.

“Ele também sabe que vai ganhar o rim da avó. Ela é realmente brilhante. É fantástica”, afirma.

“Mas o que ele realmente não pode esperar para fazer é tomar um banho de banheira. Por causa do cateter, ele só pode tomar duchas. Ele também quer ir à piscina e comer batatas fritas”, comenta.

“Ele também sabe que quando isso acontecer há muito mais coisas que ele poderá comer e que ele não ficará tão cansado e poderá correr e brincar com os amigos”, diz.

O menino complementa: “Você sabe quantas batatas fritas vou comer quando ganhar o rim da vovó? Um monte de batatas fritas”.

Notícias relacionadas