Atletas falam de sacrifícios e orgulho na preparação olímpica

Tiago Splitter e Sarah Menezes. | Foto: BBC Direito de imagem Other
Image caption Atletas descreveram rotina de preparo para os Jogos de Londres

O jogador de basquete Tiago Splitter e a judoca Sarah Menezes dizem ter "orgulho de representar" o Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres, apesar dos sacrifícios da preparação.

Em um bate-papo na página da BBC Brasil no Facebook nesta quarta-feira, Splitter falou sobre a expectativa para o início dos treinos com a seleção brasileira de basquete masculino, que começam em junho, e sobre sua participação no campeonato da NBA americana, pelo time San Antonio Spurs.

Sarah Menezes, que vai a sua segunda Olimpíada, descreveu a rotina de treinos diários e relembrou a experiência em Pequim, em 2008. "A Vila Olímpica é um mundo mágico", disse aos participantes da conversa.

Menezes é a terceira colocada no ranking mundial de judô feminino, na categoria até 48 quilos.

'Jogo de xadrez'

Questionado pelos leitores, Tiago Splitter disse que, além dos Estados Unidos, Espanha e França devem ser fortes adversários da seleção de basquete na Olimpíada.

"Não existe 'zebra', são só doze times, os doze melhores do mundo. Tudo pode acontecer!", afirmou.

O jogador falou ainda sobre o trabalho com o técnico argentino Rubén Magnano, campeão olímpico que, segundo ele, "trouxe experiência e disciplina tática para ao time".

A seleção brasileira de basquete masculino volta às Olimpíadas em 2012 após 16 anos de sua última participação.

No entanto, por causa da competição americana, Splitter, só se juntará à seleção para os treinos em junho, pouco mais de um mês antes dos Jogos de Londres.

"Temos várias jogadas ensaiadas, que treinamos constantemente. Basquete é como um jogo de xadrez", disse o atleta.

Agora, ele se prepara para a rodada de "playoffs" (desempate) do campeonato da NBA, a liga de basquete americana, que começa no dia 28 de abril. "Não sei se a palavra é alucinante, mas realmente está sendo muito desgastante. Os jogos são muito seguidos, quase sem tempo pra descansar."

Splitter falou ainda sobre mudanças que pretende fazer em suas táticas de jogo para competir.

"Ano passado mudei a técnica de arremesso, demorei um ano para me sentir cômodo e melhorar a minha porcentagem (de rendimento). Mas a gente tenta melhorar em todos os aspectos do jogo."

Preparo psicológico

A piauiense Sarah Menezes, de 22 anos, vai disputar o outro pela segunda vez em Olimpíadas nos Jogos de Londres.

No bate-papo, ela disse que já faz treinos de pelo menos quatro horas diárias em Teresina e no Rio de Janeiro, com a seleção brasileira de judô.

"Nós iremos fazer alguns intercâmbios antes dos Jogos Olímpicos. Devo ir ao Japão e a alguns países da Europa!", disse.

A atleta também falou sobre a importância do acompanhamento psicológico e reconheceu que ele já foi um problema para ela em competições anteriores. "Estou trabalhando para não acontecer esse erro nas Olimpíadas de Londres."

Na Olimpíada de Pequim, Sarah tinha apenas 17 anos e perdeu na primeira luta.

A pedido dos participantes da conversa, a judoca falou também sobre sua rígida dieta na preparação para os Jogos.

"Tomo café da manhã, como frutas, um pão com uma fatia de queijo e presunto, tomo suco. Às 10 horas como uma fruta. Almoço uma colher de arroz, uma de feijão e um pedaço de carne com salada e tomo suco ou água. À tarde lancho frutas e à noite em tomo apenas whey (proteína do soro do leite, utilizada por atletas para ganho de massa muscular magra), ela substitui minha refeição."

Ela contou ainda que, por causa dos treinos, teve que trancar a faculdade, mas pretende voltar e, ao mesmo tempo, se classificar novamente para os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

Notícias relacionadas