Pesquisadores encontram instrumentos musicais mais antigos do mundo

Flauta primitiva | Foto: Universidade de Tuebingen Direito de imagem Universidade de Tuebingen
Image caption Grupo de pesquisadores encontrou exemplo de flauta primitiva em uma caverna no sul da Alemanha

Um grupo de pesquisadores encontrou flautas feitas de osso de passarinhos e dentes de marfim de mamutes em uma caverna no sul da Alemanha e afirmou que os achados constituem os instrumentos musicais mais antigos do mundo.

Os cientistas usaram datação por carbono para descobrir que as flautas têm entre 42 mil e 43 mil anos de idade e datam da mesma época em que o Homo sapiens iniciou a ocupação da Europa.

Liderada por Tom Higham, da Universidade de Oxford, a equipe disse que o achado sugere que os humanos modernos chegaram ao Danúbio Superior antes de uma fase climática de frio extremo ter atingido a região, por volta de 39 mil a 40 mil anos atrás.

Até então se acreditava que o Homo sapiens teria chegado ao local somente após esta onda de frio.

"Estes resultados são consistentes com a hipótese que criamos muitos anos atrás, de que o Rio Danúbio foi um corredor importante para o movimento de humanos e inovações tecnológicas para o centro da Europa entre 40 mil e 45 mil anos atrás", disse Nick Conard, pesquisador da Universidade de Tuebingen.

Os cientistas argumentam que os instrumentos musicais podem ter tido um papel importante para rituais religiosos ou recreativos e alguns chegam a afirmar que a música pode ter sido um dos fatores de diferenciação dos homens modernos sobre os neandertais, que foram extintos em grande parte da Europa há cerca de 30 mil anos.

Para os pesquisadores a música pode ter servido para a manutenção de redes sociais de grande porte, o que teria influeciado uma capacidade de expansão territorial maior do que a dos neandertais.

Notícias relacionadas