Pais são detidos como suspeitos de incêndio que matou seis de seus filhos

Mairead e Mick foram presos após incêndio que matou seis de suas crianças - Foto: PA Direito de imagem PA
Image caption Mairead e Mick foram presos após incêndio que matou seis de suas crianças

A polícia na Grã-Bretanha conseguiu mais 12 horas para interrogar os pais de seis crianças mortas em incêndio de uma casa em Derby.

Mick Philpott, 55 anos, e sua esposa Mairead, 31 anos, foram presos por suspeita de homicídio na manhã de terça-feira.

Cinco crianças, com idades entre cinco e 10 anos de idade, morreram no incêndio na casa em Victory Road, em 11 de Maio. Duwayne, 13, morreu três dias depois no hospital.

O fundo constituído para angariar dinheiro para a família informou que vai continuar o seu trabalho apesar do andamento das investigações.

Philpott Jade, 10 anos, e os irmãos John, nove, Jack, oito, Jessie, seis e Jayden, de cinco anos, foram retirados da casa pelos bombeiros, mas foram declarados mortos no local.

Mick e Mairead deram uma entrevista coletiva, cinco dias depois, para agradecer à comunidade por seu apoio.

'Juntar as peças'

Os detetives confirmaram que o fogo começou perto da porta da frente, na parte interna da casa, e um propagador - provavelmente gasolina - foi usado.

Falando após as prisões de terça-feira, o oficial de polícia Steve Cotterill disse: "Quanto às prisões, peço alguém que possa ter evitado falar, ou não tenha se sentido à vontade para expressar suas impressões sobre o caso, que o faça agora".

"As últimas detenções são apenas mais um passo na investigação. É absolutamente vital que se alguém sabe de algo que poderia nos ajudar, apresente-se agora, não espere mais".

"O que precisamos fazer agora é usar bem nosso tempo, entrevistar os dois indivíduos envolvidos e juntar as peças que conhecemos até hoje."

A casa em que a tragédia ocorreu ainda está sendo examinada pela perícia e deve continuar fechada durante algum tempo, acrescentou o policial.

A família chamou a atenção em 2006, quando Philpott pediu à prefeitura uma casa maior para acomodar sua esposa, namorada, e 14 crianças.