Ministros europeus devem discutir possível resgate a bancos espanhóis

Mulher passa em frente a fachada do Bankia, nacionalizado pelo governo espanhol Direito de imagem Reuters
Image caption Crise levou à nacionalização do Bankia, um dos maiores bancos da Espanha

Ministros das Finanças da zona do euro devem discutir neste sábado um possível plano de resgate para os bancos espanhóis, segundo apurou a BBC.

Fontes da União Europeia dizem que o governo espanhol deve pedir formalmente uma ajuda ao seu sistema bancário, que passa por dificuldades para conseguir financiamento.

Até agora, a Espanha vem negando relatos de que um anúncio europeu de um plano de resgate para os bancos do país seja iminente.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) estima que os bancos espanhóis necessitem de uma injeção de capital estimada em ao menos 40 bilhões de euros (cerca de R$ 101,5 bilhões).

O FMI afirmou na sexta-feira que um "teste de estresse" mostrou que o setor financeiro espanhol é bem administrado, mas "vulnerável".

'Expressão de vontade'

As autoridades europeias também vinham negando que a Espanha poderia pedir ajuda formalmente neste sábado.

Mas em uma entrevista a uma rádio portuguesa, o vice-presidente do Banco Central Europeu, Vítor Constâncio, disse que o pedido de ajuda deve ser feito logo.

"É esperado que a Espanha formule um pedido de ajuda exclusivamente para a recapitalização dos bancos", afirmou.

"Tem de haver uma expressão de vontade para tal programa para os bancos espanhóis, e esperamos que isso aconteça de maneira tranquila", disse.

O correspondente da BBC em Madrid Tom Burridge comenta que a Espanha vem sofrendo pressão da União Europeia para agir, possivelmente antes da temida incerteza que poderia ser gerada pelas eleições na Grécia no próximo fim de semana.

Auditoria

O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, vem insistindo que qualquer decisão deverá ser tomada após os resultados de uma auditoria independente sobre o sistema bancário espanhol, que deverá ser concluída em duas semanas.

A auditoria deverá produzir um valor em dinheiro que seria necessário para apoiar os bancos espanhóis.

Um acordo para resgate poderia prever o repasse do dinheiro primeiro ao governo espanhol e depois aos bancos em dificuldades.

Como o governo espanhol já havia anunciado duras reformas financeiras, é possível que o eventual acordo traga condições menos duras que os acordos de resgate mais amplos feitos com Grécia, Portugal e Irlanda.

O possível pedido de ajuda aos bancos espanhóis deverá ser discutido em uma conferência telefônica entre os ministros das Finanças da zona do euro neste sábado.

'Adversidades'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou na sexta-feira que os líderes europeus terão que tomar decisões difíceis para afastar a zona do euro da crise.

Ele afirmou que os Estados Unidos apoiarão a Europa na implementação de soluções duras necessárias para resolver a crise em andamento.

Segundo Obama, uma nova recessão profunda na Europa teria um impacto sobre a economia americana.

O presidente americano afirmou que o futuro da Grécia na zona do euro é uma questão para o povo grego, mas, segundo ele, "mais adversidades" devem ser esperadas se o país escolher deixar o euro.

Os gregos devem ir às urnas no dia 17 de junho para tentar encerrar um impasse político para a formação de um novo governo. Os líderes da zona do euro afirmam que o impasse está minando a capacidade da Grécia de combater a crise econômica.

Notícias relacionadas