Mesmo após acidente que matou 228, Air France está em lista de 'mais seguras'

Air France Direito de imagem AFP
Image caption Acidente com voo da Air France que vinha do Rio de Janeiro matou 228 em 2009

Um estudo realizado pela agência suíça de classificação do transporte aéreo Atra inclui a Air France na lista das dez companhias mais seguras do mundo.

Após o acidente com o voo AF 447, que caiu em 2009 sobre o Atlântico após decolar do Rio de Janeiro, matando 228 pessoas, a Air France sofreu inúmeras críticas de pilotos e especialistas em relação à segurança.

Além da Air France-KLM (as duas empresas realizaram uma fusão em 2004), outras companhias aéreas que integram a chamada lista "branca" da aviação mundial são a Air Canada, a Delta, a British Airways, a Lufthansa, a Qantas, a American Airlines e a United Airlines, segundo a Atra.

A agência suíça informou ter selecionado quinze critérios para determinar o perfil de segurança das companhias aéreas, como a idade média e homogeneidade da frota, número de quilômetros percorridos ou ainda número de pilotos e de funcionários da empresa, além de gastos com manutenção.

Esses dados são utilizados em análises matemáticas para estabelecer o nível de segurança das companhias aéreas.

Polêmica

A agência de classificação afirma que, diferentemente de outros rankings de segurança aérea, ela não analisa somente o histórico dos acidentes ocorridos, embora esse dado também seja levado em conta.

A catástrofe com o Airbus da Air France, ocorrida em 31 de maio de 2009 (pelo horário brasileiro) está entre os principais desastres aéreos ocorridos nos últimos anos.

Uma das polêmicas em relação a esse acidente se refere ao fato de que a Air France ainda não havia trocado, na época, os sensores de velocidade do avião por equipamentos de nova geração, que já estavam sendo utilizados por outras companhias aéreas internacionais.

O BEA, órgão francês, que investiga o acidente com o voo AF 447, já revelou que os sensores de velocidade do avião congelaram em alta altitude.

Embora reiterem que essa não seja a causa do acidente, os investigadores afirmam que “as falhas nos sensores são o primeiro elemento de uma série de eventos que conduziu ao acidente”.

O relatório final sobre as causas do acidente com o voo AF 447 será divulgado no dia 5 de julho.

O último relatório preliminar, divulgado em maio do ano passado, aponta erros de pilotagem. Os familiares das vítimas criticam que os investigadores dêem destaque para as falhas dos pilotos.

Notícias relacionadas