Países prometem US$ 16 bilhões ao Afeganistão

Atualizado em  8 de julho, 2012 - 09:48 (Brasília) 12:48 GMT
O presidente afegão, Hamid Karzai. | Foto: BBC

Países exigiram estratégias de combate à corrupção em troca de ajuda financeira

Países doadores em uma conferência sobre o Afeganistão prometeram dar US$ 16 bilhões (R$ 32,5 bilhões) ao país durante quatro anos, como ajuda civil depois das retiradas das forças da Otan em 2014.

Os principais doadores, Estados Unidos, Japão, Alemanha e Grã-Bretanha, lideraram a oferta durante o encontro, que aconteceu em Tóquio.

O compromisso foi feito depois que o Afeganistão concordou com novas condições exigidas pelos países para lidar com a corrupção. Há receio de que o país volte a uma situação caótica após a saída da Otan.

A economia afegã depende fortemente de ajuda internacional para desenvolvimento e defesa. Segundo o Banco Mundial, as doações perfazem mais de 95% do PIB do país.

Neste domingo, no Afeganistão, duas bombas em estradas mataram 14 civis e feriram outros três no sul da província de Kandahar, segundo a polícia local.

A primeira bomba atingiu um carro e a segunda explodiu quando um trator chegou para resgatar os feridos. De acordo com autoridades locais, há mulheres e crianças entre os mortos.

Condições

Em seu discurso de abertura na conferência, o presidente afegão Hamid Karzai prometeu "lutar contra a corrupção com determinação".

Ele disse que apesar do progresso dos últimos dez anos, a economia do Afeganistão continua vulnerável e a segurança ainda é um grande obstáculo.

"Será preciso muitos anos de trabalho duro de nossa parte como afegãos, assim como apoio contínuo de nossos parceiros internacionais antes que o Afeganistão alcance a prosperidade e a autoconfiança", disse.

Soldados americanos em Kandahar. | Foto: AP

As unidades de treinamento da Otan permanecerão no país após 2014

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, ressaltou a necessidade de reformas para manter as mudanças já realizadas no país.

"Isso inclui lutar contra a corrupção, melhorar a governança, fortalecer as leis e aumentar o acesso a oportunidades econômicas para todos os afegãos, especialmente as mulheres", disse.

O encontro em Tóquio tem a presença de altos representantes de mais de 70 países e organizações internacionais.

Apoio militar

A ajuda civil conseguida em Tóquio se somará aos US$ 4,1 bilhões de ajuda militar para as Forças Armadas do Afeganistão prometidos em uma cúpula de líderes da Otan em Chicago, em maio.

De acordo com o plano reafirmado em Chicago, as forças da Otan irão entregar o comando militar para as forças afegãs em meados de 2013 e devem retirar totalmente seus soldados do país até o fim de 2014. Depois disso, só as unidades de treinamento permanecerão no país.

Em pronunciamento feito em Cabul no sábado, antes de sua ida a Tóquio, Hillary Clinton anunciou que os EUA deram ao Afeganistão o status de "grande aliado fora da Otan".

A designação dá ao país acesso prioritário à tecnologia militar avançada americana e estabelece a cooperação entre os dois países. O último país a receber o status foi o Paquistão, em 2004.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.