Londres 2012: Estereótipos pressionam esportistas do sexo feminino

Jessica Ennis (Foto Reuters) Direito de imagem Reuters
Image caption Jessica Ennis: campeã britância de atletismo disse ter sido chamada de "gorda"

Algumas mulheres jovens estão se afastando de atividades esportivas por temor de que o treinamento as torne pouco atraentes.

Entre as que competem profissionalmente, a preocupação com a mudança do corpo é uma fonte de pressão adicional.

A britânica Jessica Ennis, ex-campeã mundial de heptatlo, revelou recentemente que uma figura importante do mundo do esporte teria dito que ela estava ficando "gorda".

Mas por que algumas atletas são vistas como "gordas", "pouco atraentes" ou simplesmente "pouco femininas"?

Katharina Lindner, pesquisadora da Universidade de Stirling e ex-jogadora de futebol do clube de futebol da cidade de Glasgow, fez um estudo sobre como o cinema retrata os atletas.

Como esportista, ela conheceu muitas companheiras que estavam preocupados sobre como o treinamento mudaria seus corpos.

"As meninas querem ser boas em seu esporte, mas, por outro lado, surgem dúvidas sobre sua feminilidade, porque elas são considerados muito musculosas", disse Lindner. "Há problemas, como distúrbios alimentares e questões relacionadas à imagem corporal, que surgem por isso."

Kirsteen Martin e Carol McCluskey, do clube de futebol Queen's Park, dizem saber bem como é conviver com esses estereótipos negativos.

"É comum ouvir aquele comentário típico de que seríamos mais masculinizadas, mas tento não deixar isso me incomodar", diz Kirsteen. "Somos incentivadas a ficar mais fortes - principalmente na parte superior do corpo - porque isso pode nos ajudar a jogar melhor."

Definição

Direito de imagem Reuters
Image caption Algumas mulheres esportistas dizem ter problemas com o aumento na massa muscular

Para o psicólogo esportivo Tom Lucas, os meios de comunicação poderiam ajudar mais a melhorar a atitude da sociedade em relação às mulheres que fazem determinados esportes.

"Eu me lembro que (a atleta britânica) Sally Gunnell disse certa vez que se sentia sob pressão para usar maquiagem. Para mim, isso é triste."

Segundo alguns estudos, duas em cada cinco meninas se recusam a participar de atividades esportivas por causa de preocupações com mudanças em sua aparência.

Um relatório recente da Associação Cristã de Jovens sobre como os jovens veem a si mesmos afirma que a partir dos cinco anos as crianças já têm preocupações sobre sua imagem corporal.

"Temos que rever seriamente essa cultura de criticar as mulheres e sua aparência. Não acho que os homens estejam sujeitos ao mesmo nível de críticas", disse a deputada britânica Jo Swinson, que presidiu a apresentação do relatório. "Mas esse não será um problema fácil de se resolver, já que precisamos de uma mudança cultural", afirmou.

Notícias relacionadas