Campanha em Londres 2012 foi a mais premiada do Brasil em Olimpíadas

Equipe de vôlei feminino comemora medalha de ouro (Reuters) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Vôlei feminino conquistou ouro para o Brasil no sábado

O Brasil encerra suas participação nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 alcançando o número recorde de medalhas, mas sem conseguir seu melhor desempenho na história.

Foram 17 medalhas vencidas nos 16 dias de competição em Londres 2012, duas a a mais do que o obtido nas edições de Atlanta 1996 e Pequim 2008. Apenas três foram de ouro.

Mas em quantidade de ouro – que é o primeiro parâmetro na avaliação do desempenho dos países em Olimpíadas – o Brasil termina Londres 2012 sem conseguir repetir o feito de Atenas 2004, quando o país subiu cinco vezes ao lugar mais alto do pódio.

O desempenho do Brasil em Londres 2012 foi levemente superior ao previsto pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), que esperava que a delegação repetisse a performance de Pequim 2008.

Veja como foi a cerimônia de encerramento dos Jogos

Brasil em Londres 2012

O Brasil começou sua participação nos Jogos de forma arrasadora, conquistando três medalhas logo no primeiro dia de competição – com ouro e bronze para os judocas Sarah Menezes e prata para o nadador Thiago Pereira.

Na primeira semana dos Jogos, a natação e o judô receberam a maior parte da atenção da torcida brasileira. Nas piscinas, a prata de Thiago Pereira nos 400m medley aumentou as esperanças de o país conseguir a sua melhor campanha na história da natação.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Brasil conquistou medalhas no judô com os bronzes de Mayra Aguiar (foto) e Rafael "Baby" Silva

Havia expectativa de que Pereira voltasse ao pódio nos 200m medley e que a maior estrela brasileira da natação – Cesar Cielo – conquistasse medalhas nos 100m e 50m livres. Bruno Fratus e a equipe de revezamento também eram esperanças brasileiras.

No entanto, ao longo da semana, os brasileiros mostraram que não estavam à altura dos competidores. Cielo terminou os 100m em sexto. Nos 50m – prova na qual levou ouro em Pequim 2008, estabeleceu o recorde mundial e dominou nos últimos quatro anos – ele terminou apenas com o bronze, sendo superado pelo francês Florent Manaudou e pelo americano Cullen Jones.

O primeiro dia arrasador do Brasil em Londres 2012 passou a ser visto como uma exceção. Na primeira semana dos Jogos, diversos atletas brasileiros que estavam cotados para subir ao pódio – como o ginasta Diego Hypólito e os judocas Leandro Guilheiro, Tiago Camilo e Rafaela Silva – foram sendo eliminados precocemente em suas competições.

O Brasil só voltou a ver medalhas nos últimos dias de competição do judô, com os bronzes de Mayra Aguiar e Rafael "Baby" Silva.

No fim de semana, o grande destaque brasileiro surgiu longe da capital britânica, nas águas de Weymouth, no sul da Inglaterra. Robert Scheidt tornou-se o maior medalhista brasileiro da história das Olimpíadas ao conquistar seu quinto pódio consecutivo em Jogos.

No entanto, o sentimento para ele foi de alegria e tristeza, já que ele havia começado o domingo com chances de ouro e com a prata praticamente garantida, mas acabou surpreendido pela dupla da Suécia e caiu uma posição na classificação geral depois da última regata da Star.

Ouro inédito

A última semana de competição começou da melhor forma possível, com o primeiro ouro da história da ginástica artística brasileira. Arthur Zanetti superou o tetracampeão mundial Chen Yibing nas argolas na última apresentação da competição e levou o segundo ouro brasileiro em Londres 2012.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Arthur Zanetti conquistou ouro inédito para o Brasil

Aos poucos, os olhos do público brasileiro se voltaram para os esportes coletivos, onde o Brasil começava a chegar às finais.

No vôlei de praia, apenas metade das quatro duplas brasileiras conseguiram pódio. Emanuel e Alison foram prata, após derrota para os alemães Brink e Reckermann, e Larissa e Juliana acabaram com o bronze.

No sábado, penúltimo dia de competição, grandes surpresas determinaram outras duas medalhas brasileiras. No futebol masculino, após boa campanha nos Jogos, o Brasil foi dominado e derrotado pelo México diante de 86 mil pessoas no estádio de Wembley, e voltou para casa novamente com uma prata.

O país segue sem ouro no futebol olímpico, já que a seleção feminina foi eliminada pelo Japão nas quartas-de-final.

A segunda surpresa do sábado foi positiva para os brasileiros. Em jogo emocionante, a seleção feminina de vôlei conseguiu vencer os Estados Unidos na final – para quem já havia perdido por 3 a 0 na primeira fase – e levou o terceiro ouro brasileiro em Londres 2012.

Surpresa no boxe

A meta do COB não teria sido alcançada nos Jogos sem o desempenho de um esporte que chegou às Olimpíadas com pouco destaque. O Brasil conseguiu três medalhas no boxe olímpico, desempenho só inferior ao judô brasileiro em Londres 2012.

Depois de 44 anos sem subir ao pódio, o Brasil conquistou uma prata, com Esquiva Falcão, e dois bronzes, com Adriana Araújo e Yamaguchi Falcão. Esquiva chegou à primeira final olímpica do Brasil no boxe e Adriana conseguiu uma medalha nos primeiros Jogos em que mulheres lutaram boxe.

A última semana também foi marcada por uma grande decepção. O Brasil não conseguiu subir nenhuma vez ao pódio no atletismo, onde são disputadas algumas das modalidades mais nobres das Olimpíadas.

O brasileiro Marílson dos Santos chegou na quinta colocação na maratona, realizada neste domingo, e o Brasil ficou fora do pódio, dominado pelos atletas africanos.

E, no vôlei masculino, após abrir 2 sets a 0 contra a Rússia na final, o Brasil permitiu a reação do adversário e a Rússia levou a medalha de ouro. A seleção masculina não conseguiu repetir o feito da seleção feminina e ficou com a prata.

No último dia dos Jogos, horas antes da cerimônia de encerramento, Yane Marques terminou em terceiro no pentatlo moderno, conquistando mais um bronze para o Brasil - a 17ª e última medalha da campanha de Londres 2012, a melhor da História do país.

Notícias relacionadas