Explosão em refinaria mata dezenas na Venezuela

Atualizado em  25 de agosto, 2012 - 09:43 (Brasília) 12:43 GMT
Incêndio em Amuay | Foto: AP

Especialistas dizem que falta investimento na manutenção de refinarias

Uma explosão no complexo de refinarias Paranaguá, o principal da Venezuela e um dos maiores do mundo, deixou pelo menos 24 mortos e mais de 80 feridos.

O número de vítimas foi confirmado pela governadora do Estado Falcón, no norte do país, Stella Lugo. Entre as vítimas estava um menino de 10 anos.

A explosão aconteceu na zona de tanques de gás da refinaria Amuay, a maior das três que formam o complexo, e causou um incêndio que atingiu edifícios próximos.

No entanto, as autoridades dizem que o fogo foi controlado rapidamente e que não deve se espalhar.

"As áreas que tinham ser evacuadas foram evacuadas, mas a situação, segundo me dizem os técnicos da refinaria, está controlada", disse Lugo.

A refinaria Amuay produz cerca de 645 mil barris de petróleo por dia.

Vazamento de gás

O ministro de Energia e Petróleo da Venezuela, Rafael Ramírez, culpou um "vazamento de gás" pelo incidente, que aconteceu na madrugada deste sábado.

"O acúmulo de gás criou uma nuvem que explodiu e provocou incêndios em pelo menos dois tanques da refinaria e nas áreas ao redor", disse Ramírez à televisão estatal.

"A explosão foi de grande magnitude, por isso há danos notáveis na infraestrutura e em residências que estavam em frente à refinaria."

Horas antes, no Twitter, o vice-presidente do país, Elías Jaua, disse que "em Amuay, os danos são sérios" e anunciou que o governo estava enviando ambulâncias e equipes das Forças Armadas ao local.

'Falta de investimento'

Na Venezuela, o país com as maiores reservas de petróleo mapeadas do mundo, a manutenção das refinarias é uma fonte recorrente de polêmica entre funcionários do governo e especialistas da oposição, segundo o correspondente da BBC Mundo, serviço em espanhol da BBC, na Venezuela, Abraham Zamorano.

Ex-diretores da empresa estatal Petróleos de Venezuela (PVDSA), afirmam que a empresa não investe o suficiente na manutenção das instalações.

De acordo com Zamorano, eles discordam da atuação do presidente Hugo Chávez, que destina boa parte dos recursos da petrolífera para políticas sociais.

A polêmica mais recente envolvendo o assunto aconteceu após a notícia de que o país precisaria importar gasolina dos Estados Unidos para atender sua demanda interna, o que os especialistas também atribuem à falta de investimento nas refinarias nacionais.

Leia mais sobre esse assunto

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.