Psicóloga explica como crianças podem superar o trauma de um assassinato

Atualizado em  8 de setembro, 2012 - 21:37 (Brasília) 00:37 GMT
Flores | Crédito da foto: Getty

Flores foram depositadas na casa de família britânica assassinada nos Alpes franceses.

Zeena, a filha de 4 anos do casal britânico de origem iraquiana que foi morto na última quarta-feira em seu carro, em Annecy, nos Alpes franceses, foi encontrada pela polícia oito horas depois de eles terem chegado à cena do crime, no sul da França.

Ela estava escondida sob o corpo de sua mãe. Não havia ferimentos aparentes, mas o trauma do que viu e a perda de seus pais provavelmente vão afetá-la para o resto de sua vida.

Zeena passou a noite da última quarta-feira no hospital, com uma enfermeira ao seu lado.

De acordo com Emma Citron, psicóloga clínica especializada em traumas de infância, Zeena pode ter sofrido reação de estresse agudo, um choque enorme, ao testemunhar um incidente assustador.

“Trata-se de uma espécie de bloqueio de reação. A reação oferece proteção contra os estímulos ao redor, porque começa dentro da pessoa", disse Citron.

"De certa forma, isso permite que a pessoa supere as situações mais terríveis", acrescentou.

Segundo Citron, crianças da idade de Zeena já têm um conceito de vida e morte. Elas, no entanto, apresentam uma noção menos desenvolvida do que as das crianças mais velhas, que reconhecem as implicações da morte dos pais.

O promotor de Annecy, Eirc Maillaud, disse que encontrou Zeena "aterrorizada e imóvel entre os cadáveres."

A polícia de Annecy falou brevemente com a menina. Citron disse que pode levar até uma semana para que os investigadores possam questionar Zeena.

Enquanto a polícia tenta obter informações, é preciso ter cuidado para falar com Zeena, para não traumatizá-la novamente ou não fazer com que ela reviva o crime, acrescenta Citron.

"Do ponto de vista da psicoterapia, é melhor para a criança estar entre os entes queridos, mas é claro que a polícia deve tentar encontrar essas pistas vitais”, disse Citron.

Traumas

Há um risco forte e imediato de que Zeena sofra de estresse pós-traumático (PTSD, na sigla em inglês), e isso pode se manifestar de diferentes maneiras, de acordo com o psicólogo.

Flashbacks, recorrência do incidente como um filme em sua mente, enurese (falta de controle da micção) e insônia são alguns sintomas observados em crianças com estresse pós-traumático.

A psicóloga acrescentou que, futuramente, as crianças que testemunharam acontecimentos violentos podem ter problemas na escola e sentir que vivem "em uma área ou mundo diferente" do que todos os outros.

Elas também poderiam ter dificuldade em fazer amigos.

“Ter parentes próximos e queridos é fundamental nesse tratamento, que pode levar anos e anos”, explicou.

“Mesmo para um bebê, pode ser traumático, quando, mais velho, perceber que perdeu os parentes e colocando todas as peças desse quebra-cabeça juntas”, disse.

A experiência de cada criança a uma atrocidade é diferente e muito pessoal, afirmou.

A capacidade de Zeena em lidar com o trauma dependerá de uma série de fatores, incluindo a sua capacidade de resistência e predisposição genética.

"Quando ela crescer, grande parte de sua recuperação vai depender de sua personalidade, seus genes”, concluiu.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.