Palanque BBC: Moradores de Osasco querem parque em local de esgoto a céu aberto

Atualizado em  2 de outubro, 2012 - 05:19 (Brasília) 08:19 GMT
braço morto do rio Tietê, em Osasco (foto - Paulo Talarico / BBC Brasil)

O braço morto do rio Tietê causa problemas aos moradores, como insetos, ratos e enchentes

A diarista Ana Maria Garcez, de 51 anos, limpa a calçada de sua casa, ao mesmo tempo em que fica de olho em seu filho, Tiago, que se diverte na rua. ''Cuidado com o carro'', fala para o garoto que desce a rua em um carrinho de rolimã. Segundo ela, ele brinca ali porque o seu bairro não tem áreas de lazer.

Esta é uma realidade comum para moradores de diferentes regiões de Osasco, cidade da Grande São Paulo. Com apenas 3% de áreas verdes, os mais de 668 mil habitantes sofrem com a falta de espaços de lazer e de saneamento básico. Para a próxima gestão municipal, os moradores esperam investimentos em parques e praças.

Ana mora no Rochdale, bairro onde a população sofre também com as frequentes enchentes. Rodeados pelo Braço Morto do Rio Tietê e pelo Ribeirão Vermelho, córregos repletos de sujeira e de mato, os moradores, há anos, aguardam a canalização. Eles desejam, também, que o próximo prefeito priorize a região por meio da criação de espaços de lazer no que hoje é um esgoto a céu aberto. Outro problema mencionado é o excesso de insetos e ratos próximo às casas.

''Essa rua lá embaixo fica toda alagada quando chove, é uma tristeza só, mas acho que as pessoas têm de parar de jogar lixo nas ruas'', diz a moradora, que afirma que o mau estado da região não é de responsabilidade apenas do poder público, mas também da população.

Leia também: Clique Blogueiros discutem problemas para futuros prefeitos de todo o país

Parques distantes

Do outro lado da cidade, o técnico de montagem Dionatan Santos Porto, 19, reclama da falta de espaços verdes onde mora, no Jardim das Bandeiras, zona sul de Osasco.

Quando quer se divertir, ele precisa pegar um ônibus em direção ao Parque Villa Lobos, na zona oeste de São Paulo. São 15 quilômetros de distância, e uma hora e meia de viagem, sem contar o tempo de espera do coletivo. ''Aqui, não tem nada de parques, mas com certeza deveria ter áreas de lazer'', diz.

Contudo, o técnico acredita que a ocupação do solo por residências e a construção do Rodoanel Oeste, que eliminou a parte verde existente na divisa entre Osasco e Carapicuíba, inviabilizam a criação de áreas verdes.

''O parque mais perto daqui é em Carapicuíba, mas é mal cuidado. Por isso, a gente vai para longe'', conta o conferente de importação Adriano dos Santos Alves, 20.

Em nota, a Prefeitura de Osasco informou que a cidade conta com oito parques ecológicos [ Clique clique aqui para ver o mapa], situados em oito dos 60 bairros do município. Há, também, um espaço de lazer em construção no Conjunto dos Metalúrgicos.

O órgão diz que o município possui ''áreas verdes em diversos pontos'', onde poderão ser implantados ''futuros parques e praças''.

* Paulo Talarico, 21, e Patrícia Silva, 23, são moradores, respectivamente, de Osasco e do bairro do Campo Limpo, em São Paulo, e integrantes do Clique Blog Mural

O Palanque BBC é uma série da BBC Brasil com textos assinados por blogueiros de diferentes capitais brasileiras e que falam de problemas que afetam essas cidades.


Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.