cronologia dos fatos
Obama e Romney se enfrentam em terceiro debate

Atualizado em  22 de outubro, 2012 - 22:43 (Brasília) 00:43 GMT
Para ver as últimas atualizações, recarregue a página ou habilite o javascript
  1. Conheça, abaixo, mais detalhes sobre o terceiro debate entre os candidatos à presidência dos Estados Unidos:

    • O terceiro debate entre Barack Obama e Mitt Romney, o último antes das eleições americanas, previstas para ocorrerem no próximo dia 6 de novembro, será sobre a política externa dos EUA.
    • O duelo final está previsto para começar às 21h hora local (23h de Brasília) e será realizado na Universidade de Lynn, em Boca Raton, na Flórida.
    • O mediador será o jornalista Bob Schieffer, da rede de TV americana CBS News.
    • O confronto durará 90 minutos.

     

  2. Neste terceiro debate, sobre a política externa dos Estados Unidos, temas como Líbia, Oriente Médio, China e a guerra do Afeganistão deverão estar em pauta.

  3. Leia as principais opiniões de Obama e Romney sobre como os EUA veem o mundo.

  4. O jornalista americano Bob Schieffer, mediador deste terceiro debate, é considerado um dos mais talentosos da capital americana, Washington.

    Atualmente, ele é chefe dos correspondentes da rede de TV CBS News e apresentador do programa "Face The Nation", veiculado na mesma emissora aos domingos. 

    Nascido em Austin, no Texas, Schieffer ingressou na CBS News em 1969, depois de passagens por um jornal de sua cidade natal, pelo qual cobriu a guerra do Vietnã, e uma rede de TV de Dallas.

    Por duas décadas ininterruptas, de 1976 a 1996, o jornalista apresentou o principal telejornal noturno da CBS News aos sábados. Ele é vencedor de sete prêmios 'Emmy'.

  5. Segundo analistas, durante o debate, Obama deverá dar enfoque aos feitos de seu governo na área externa, como a morte de Osama bin Laden e o fim da guerra no Iraque. Ele também tentará minar a credibilidade do adversário em assuntos internacionais, acrescentaram.

    Já Romney, acreditam os especialistas, tenderá a desqualificar a política externa de Obama, sob o argumento de que o presidente tem sido menos "linha-dura".

  6. Uma brasileira de 19 anos está trabalhando na organização do debate entre Mitt Romney e Barack Obama, segundo o site do jornal Folha de S.Paulo. Letícia Carvalho envolveu-se no evento porque estuda psicologia na universidade onde Obama e Romney se enfrentarão na noite desta segunda-feira, a Universidade de Lynn, de Boca Raton (Flórida). Sua função é divulgar pela internet os trabalhos da universidade relacionados ao debate.

  7. Uma pesquisa internacional realizada com 22 mil pessoas a pedido da BBC revela que em 20 dos 21 países analisados a população é favorável à reeleição de Barack Obama. Cerca de 50% dos entrevistados preferem o democrata. Mitt Romney seria escolhido por apenas 9% dos entrevistados. O resultado contrasta com as pesquisas de opinião americana, que revelam que os candidados estão praticamente empatados.

  8. Schieffer deverá dirigir Obama e Romney por seis segmentos de 15 minutos cada, cobrando os pontos de vistas dos dois candidatos sobre o tema de política externa em cada parte. Depois de fazer uma pergunta a Obama e Romney, cada um terá dois minutos para formular sua resposta e, então, o moderador guiará a discussão desse ponto. Romney responderá à primeira e à última perguntas do debate, como decidido na cara e coroa previamente.

  9. Começa o debate

    Começa o terceiro debate entre Barack Obama e Mitt Romney na Lynn University, na Flórida.

  10. Os candidatos são recebidos no palco. Cada um terá dois minutos para responder cada pergunta. O debate será sobre política internacional. A primeira pergunta é sobre a opinião de cada candidato sobre o atentado contra o consulado americano na Líbia, que matou o então embaixador dos EUA no país.

  11. Romney parabeniza Obama por encontrar Osama bin Laden, mas o cobra pelo atentado na Líbia e pelas expansão das milícias no Mali, além da evolução do programa nuclear do Irã e da expansão do poder da Irmandade Muçulmana no Egito.

  12. Após ser cobrado pelo atentado que matou um embaixador americano na Líbia, Obama se defende e diz que levará os culpados à Justiça. Diz que é preciso explorar possibilidades na Líbia e que dezenas de milhares de moradores já se manifestaram dizendo que os EUA são seus aliados.

  13. Barack Obama e Mitt Romney Barack Obama lembra que há poucos dias Romney disse que a maior ameaça geopolítica aos EUA era a Rússia. Afirmou ainda que seu oponente nunca esteve em um cargo executivo de relações exteriores. Romney afirmou achar que a maior ameaça hoje aos EUA é o Irã.

  14. Romney defende a derrubada de Bashar Assad na Síria e o apoio à lideranças dos rebeldes. Porém, sem o uso de forças terrestres. Obama diz que os EUA já estão fazendo isso, ajudando a organizar a resistência política ao regime.

  15. Romney coloca a eleição de um presidente da Irmandade Muçulmana no Egito em sua lista de distúrbios e ameaças

  16. Obama diz que o novo governo do Egito precisa ter responsabilidade em proteger as minorias. Ele afirma também que os Estados Unidos ajudarão o país a prosperar.

     

  17. A segunda pergunta aos candidatos é sobre o papel dos EUA no mundo e como o país pode defender seus princípios.

  18. Romney diz que quer um mundo pacífico, mas para que isso seja possível os EUA têm que ser fortes. Segundo ele, para que isso aconteça é preciso ter uma economia forte, o que não estaria acontecendo. Diz ainda que os cortes de trilhões de dólares no orçamento militar pode fazer o país perder sua posição de maior potência militar do mundo. Termina a fala dizendo que a influência americana não aumentou na gestão de Obama.

  19. Debate presidencial

    Após chamar os EUA de uma "nação indispensável", Obama leva o debate para temas internos. Após dizer que o país tem um sistema de alianças com outros países e inteligência nunca vistos, fala sobre educação e a necessidade de criar empregos dentro dos EUA. O democrata diz que o país está reduzindo a importação de petróleo e estimulando a economia verde.

  20. A terceira pergunta é sobre Israel. "Qual de vocês declararia que um ataque em Israel equivaleria a um ataque aos EUA?"

  21. Obama diz que, enquanto for presidente dos EUA, o Irã "não produzirá uma arma nuclear".

  22. Romney diz que os laços dos Estados Unidos com Israel são fundamentais. Segundo ele, os Estados Unidos têm de dissuadir o Irã de seu programa nuclear. Ele não mencionou, entretanto, uma possível intervenção militar no país.

  23. Obama ataca Romney no tema "orçamento militar". Afirma que o oponente propõe um corte de US$ 5 trilhões em impostos e depois um investimento de US$ 2 trilhões em armas "que os militares não estão pedindo". Afirma que a estratégia de Romney não dará certo.

    O republicano diz que é capaz de balancear a o orçamento para levar seu plano à frente. Depois diz que a Marinha americana está "tão pequena quanto era em 1970" na administração de Obama. Romney acusa o democrata de querer cortar US$ 1 trilhão do orçamento militar.

    Obama devolve dizendo que não quer fazer o corte mencionado e sobre a Marinha, diz que "também temos menos cavalos e baionetas" - se referindo á necessidade de investir em tecnologias e armamentos estratégicos.

  24. Schieffer pergunta aos candidatos quais recursos os Estados Unidos utilizariam para dissuadir o Irã de seu programa nuclear.

  25. Obama diz que não deixará o Irã promover negociações que não levarão à nada apenas para ganhar tempo, pois "o relógio está correndo". Romney aproveita para atacar o oponente, afirmando que Teerã percebeu que a administração de Obama não é forte o suficiente. Disse ainda que em vez de tomar atitudes fortes, Obama teria feito "viagens para pedir desculpas" pelos países árabes, sem ao menos visitar o maior aliado do país na região: Israel.

  26. "Quando eu assumi o mundo estava dividido. O Irã ressurgia", diz Obama. Romney rebate: "Estamos quatro anos mais próximos de um Irã nuclear".

     

  27. Há cerca de 20 minutos, o debate entrou em uma discussão econômica e doméstica, mais que de política internacional. Com Romney mais seguro sobre esse tema – e Obama com mais flancos para criticar o rival –, o duelo ficou inclusive mais vivo. Mas se afastou tanto do tema do encontro que o moderador foi obrigado a forçar a conversa de volta para a arena internacional. “Já ouvimos isto nos últimos debates”, ele disse.

  28. A próxima pergunta é: "O que você faria se o prazo para a retirada das tropas americanas terminar e os afegãos ainda não estiverem preparados para assumir o controle do país?"

  29. Romney diz que será possível cumprir o cronograma para retirar as tropas americanas do Afeganistão em 2014. Afirma porém que é preciso encorajar o Paquistão a estabelecer um governo mais estável, pois a situação do país influencia diretamente a situação no Afeganistão.

    Obama enaltece a política de seu governo na preparação das forças de segurança do Afeganistão e diz que é preciso trazer os americanos de volta para casa para "construir pontes e escolas".

  30. A próxima pergunta do moderador é: "O que você considera como a maior ameaça futura à segurança interna dos Estados Unidos?"

  31. Obama diz que os Estados Unidos devem se preocupar com a China, de forma a garantir a competição com os produtos vindos do país asiático. Segundo o presidente americano, a proposta do republicano Romney não conseguirá fazer o país prosperar e, assim, permitir aos EUA vencer a concorrência com a China.

  32. Romney diz que acredita que a maior ameaça futura dos EUA é o enriquecimento nuclear do Irã. Sobre a China, o republicano diz que o país asiático é um "manipulador de moedas", em alusão à paridade artificial do yuan em relação ao dólar.

  33. Mitt Romney

    Romney acrescenta que os EUA podem ser parceiros da China, porém, só se os chineses "respeitarem as regras". Ele criticou a "manipulação do câmbio" feita por Pequim e a pirataria feita contra produtos e tecnologias americanas. "Eles (chineses) podem ser nossos amigos, mas não podem destruir nossos empregos".

  34. Obama diz que a China pode ser um importante parceiro estratégico na área militar em relação ao teatro de operações do oceano índico. Na área comercial, afirma que os EUA devem estabelecer parcerias comerciais com vizinhos da China para forçar o país a adotar "patrões internacionais" no comércio.

  35. Barack Obama

    Em sua declaração final, Barack Obama promete criar mais empregos, especialmente na indústria, e melhorar o sistema educacional - "para investir nos empregos do futuro". Promete ainda reduzir a dependência americana em energia na área de petróleo e investir em tecnologias verdes. Afirma ainda que os EUA continuarão tendo a força militar mais poderosa do planeta e promete atender os desejos dos americanos. "Sempre ouvirei as suas vozes".

  36. Por sua parte, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney destacou suas propostas de governo. Ele afirmou que equilibrará o orçamento dos EUA. "Eu sei o que fazer para trazer esse país de volta aos trilhos", disse. "Washington está quebrado", acrescentou. "É a nossa vez de pegar essa tocha", concluiu.

  37. Termina o debate nos Estados Unidos. O próximo enfrentamento entre o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que tenta a reeleição, e seu adversário na corrida à Casa Branca, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney, será nas urnas no dia 6 de novembro deste ano.

  38. Após o debate, Obama, ao lado de Michelle Obama, conversa com um neto de Romney. Os candidatos cumprimentam pessoas da platéia.

Terceiro debate

Atualizado em 22 outubro, 2012

Obama e Romney / BBC

  • No debate desta segunda-feira, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e seu rival republicano, o ex-governador de Massachussets Mitt Romney, discutirão temas relacionados à política externa americana.
  • Será a última vez que Obama e Romney estarão lado a lado para apresentar seus pontos de vista em meio à corrida presidencial.
  • O próximo enfrentamento entre os dois candidatos será nas urnas. As eleições americanas estão previstas para ocorrer no dia 6 de novembro.

Participe da nossa cobertura

Envie comentários para as nossas páginas no Facebook e no Twitter

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.