Veja os principais temas da eleição e as propostas de Obama e Romney

Atualizado em  5 de novembro, 2012 - 18:30 (Brasília) 20:30 GMT

As propostas dos candidatos

Principais temas Obama Romney
Economy Economia

Assinou a Lei Americana de Recuperação e Reinvestimento, também conhecida como pacote de estímulo de US$ 768 milhões, que promoveu cortes de gastos e investimentos em educação, infraestrutura, energia, pesquisa, saúde e outro programas; apoiou o resgate da indústria automobilística; assinou tratados comerciais com Colômbia, Panamá e Coreia do Sul

Seu plano é centrado em cortes de impostos, rejeição das reformas promovidas por Obama no setor de saúde em 2010 (healthcare); rejeita as regulações de Wall Street estabelecidas em 2010; foi contra o resgate da indústria automobilística; propõe redução do gasto federal, mas não detalha quais programas governamentais seriam cortados

Impostos

Promoveu cortes de impostos para a maioria dos americanos; rejeita os cortes de impostos feitos na era Bush para domicílios com renda anual superior a US$ 250 mil; propõe a "regra Buffet" - que leva o nome do bilionário Warren Buffet - que prevê aumento na contribuição por parte de indivíduos muito ricos

Tornaria permanentes os cortes de impostos da era Bush; diminuiria ainda mais a contribuição individual via imposto de renda; eliminaria impostos sobre renda oriunda de investimentos e reduziria impostos cobrados de corporações; a entidade independente Tax-Policy Center diz que suas medidas favoreceriam os mais ricos; a perda de receita seria coberta através de mudanças em lacunas presentes atualmente no sistema de arrecadação

Irã

Se diz determinado a evitar que o Irã desenvolva armas nucleares; é contra um ataque israelense ou americano nas instalações iranianas; alerta para a necessidade de soluções diplomáticas, mas acredita que "a janela está se fechando" e que "todas as opções estão na mesa"; assinou novas sanções contra o Irã

Diz que é inaceitável que o Irã tenha armas nucleares; diz que uma ação militar "continua como opção na mesa"; analistas dizem que ele pode ser uma ameaça maior ao Irã; enviaria navios de guerra da Marinha ao Mediterrâneo e Golfo Pérsico; pediria mais sanções; apoiaria explicitamente grupos de oposição do Irã

Segurança nacional e guerra

Durante seu governo, as Forças Armadas mataram a maioria dos líderes da al-Qaeda, incluindo Osama Bin Laden; retirou soldados americanos do Iraque; fechou um acordo para reduzir em US$ 487 milhões os gastos com defesa pelos próximos dez anos

Teria investido mais em equipamentos militares e investimentos em mísseis, acrescentando US$ 100 bilhões ao orçamento do Pentágono; reduziria a burocracia de defesa civil

Afeganistão

Inicialmente aumentou o número de soldados no Afeganistão; começou a reduzir os contingentes, para que a missão americana no país acabe até 2014

Disse que seu objetivo é fazer uma transição bem-sucedida para que as forças afegãs assumam a segurança do país até 2014; alerta que não haverá revisão nos planos de retirada americana

Saúde

Fez uma ampla reforma ampla do sistema de saúde em 2010, com leis voltadas à universalização do serviço, ao exigir que cada indivíduo que não tenha cobertura adquira algum plano, mas impediu que as seguradoras se neguem a aceitar clientes com base em doenças existentes antes da assinatura do contrato; a lei também dá incentivos para pessoas mais pobres conseguirem cobertura pelo sistema Medicaid

Rejeitaria as reformas promovidas por Obama na saúde, apesar de elas terem sido inspiradas parcialmente em leis criadas pelo próprio Romney, quando governava o Estado de Massachusetts; devolveria aos Estados a maior responsabilidade no setor de saúde; mudaria leis que tratam de erro médico; incentivaria indivíduos a procurar o mercado privado de planos de saúde

Imigração ilegal

Usou poderes executivos para dar status legal a certos imigrantes ilegais jovens, passando por cima dos republicanos no Congresso; aumentou muito o número de deportações de imigrantes ilegais

Critica as medidas de Obama em relação a imigrantes ilegais jovens, mas não deixa claro se colocaria fim a lei; diz que os EUA devem incentivar a "autodeportação" ao dificultar bastante a vida dos ilegais

Aborto

Apoia o direito ao aborto; indicou dois juízes para a Suprema Corte americana que são favoráveis ao aborto

Diz que fará uma "presidência pró-vida", apesar de ter apoiado o direito ao aborto quando concorreu ao governo de Massachusetts em 2002; é a favor de reverter a decisão Roe vs. Wade, da Suprema Corte, que legalizou o aborto nos EUA, dando poderes aos Estados; tiraria recursos dados a clínicas especiais de saúde feminina, que realizam abortos

Energia

Apoia investimentos em energia limpa, como usinas eólicas e carros elétricos; aumentou os padrões de eficiência de combustível exigidos dos carros; bloqueou o avanço no oleoduto Keystone, dizendo que os EUA não teve tempo suficiente para avaliar o impacto ambiental da obra

Flexibilizaria regulação contra usinas que queimam carvão e óleo, e usinas nucleares; incentivaria a perfuração de poços no Atlântico e no Pacífico; promete a construção do oleoduto Keystone

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.