Veja repercussão internacional de lançamento da Coreia do Norte

Atualizado em  12 de dezembro, 2012 - 20:50 (Brasília) 22:50 GMT
Foguete norte-coreano / Reuters

Imagens de satélite mostram exato momento em que foguete foi disparado pela Coreia do Norte

Na manhã desta quarta-feira (noite da última terça-feira no Brasil), a Coreia do Norte ignorou as advertências da comunidade internacional e lançou um foguete.

A empreitada foi confirmada pelos Estados Unidos, que afirmaram que um objeto foi colocado em órbita pelo país.

Para os críticos do regime, a iniciativa esconderia, na verdade, um teste de míssil de longo alcance. A Coreia do Norte diz que o objetivo era colocar um satélite em órbita.

Veja, abaixo, a repercussão internacional:

Nações Unidas: Martin Nesirky, porta-voz do secretário-geral Ban Ki-moon

O secretário-geral deplora o lançamento de um foguete anunciado pela República Popular Democrática da Coreia (Coreia do Norte).

É uma clara violação da resolução 1874 do Conselho de Segurança, pela qual o Conselho exigiu que a RPDC não realizasse qualquer lançamento usando tecnologia de mísseis balísticos.

Estados Unidos: Tommy Vietor, porta-voz do Conselho Nacional de Segurança

O lançamento de um foguete pela Coreia do Norte hoje - usando tecnologia de mísseis balísticos, apesar de proibições expressas pelas Nações Unidas seguindo as resoluções do Conselho de Segurança - é um ato de provocação que ameaça a segurança regional, viola diretamente as resoluções 1718 e 1874 do CS da ONU, viola as obrigações internacionais da Coreia do Norte, e prejudica a iniciativa mundial de não-proliferação nuclear.

Esta ação é mais um exemplo do padrão de comportamento irresponsável da Coreia do Norte. Os Estados Unidos permanecem vigilantes em face das provocações norte-coreanas e totalmente comprometidos com a segurança de nossos aliados na região.

Dada esta ameaça atual à segurança regional, os Estados Unidos vão reforçar e aumentar a nossa estreita coordenação com aliados e parceiros.

Coreia do Sul: Kim Sung-hwan, Ministro das Relações Exteriores

A Coreia do Norte ignorou repetidas advertências e demandas da comunidade internacional para que o país abortasse o lançamento do foguete.

Nosso governo, juntamente com a comunidade internacional, critica fortemente tal empreitada.

A Coreia do Norte deve arcar pesadamente com a sua responsabilidade ao lançar o foguete como advertiu o Conselho de Segurança da ONU por meio de sua declaração presidencial (sobre a Coreia do Norte) em abril (deste ano).

China: Hong Lei, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores

Expressamos pesar pela República Popular Democrática da Coreia (Coreia do Norte) devido ao lançamento (do foguete), apesar das preocupações extensas da comunidade internacional.

China: Xinhua, agência de notícias estatal

Como outras nações, a RDPC (Coreia do Norte) tem o direito de realizar a exploração pacífica do espaço.

No entanto, Pyongyang também deve obedecer a resoluções do Conselho de Segurança, incluindo a Resolução 1874, que cobra da RPDC a não-realização de "qualquer lançamento usando tecnologia de mísseis balísticos", por meio da suspensão "de todas as atividades relacionadas ao seu programa de mísseis balísticos".

Sob as circunstâncias do momento, todas as partes envolvidas devem ficar de "cabeça fria" e se abster de colocar "mais lenha na fogueira" de forma a evitar que a situação fuja do controle.

Japão: Osamu Fujimura, porta-voz do governo

É extremamente lamentável que a Coréia do Norte tenha levado a cabo o lançamento do foguete, apesar de nossos pedidos pela moderação.

Nosso país não pode tolerar isso. Nós protestamos fortemente contra a Coreia do Norte.

Rússia: porta-voz do Ministério das Relações Exteriores

O lançamento de um novo foguete realizado pela Coreia do Norte ignora a opinião da comunidade internacional, incluindo os pedidos do lado russo e nos deixa com profundo pesar.

Reino Unido: William Hague, ministro das Relações Exteriores

Condeno veementemente a RPDC (Coreia do Norte) pelo lançamento do foguete.

Lamento também o fato de que a Coreia do Norte decidiu priorizar este lançamento sobre a melhoria da vida de seu povo.

Brasil: Ministério das Relações Exteriores

O Governo brasileiro tomou nota das declarações à imprensa feitas pelo Presidente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, em 12 de dezembro de 2012, pelas quais condena o lançamento de foguete pela República Popular Democrática da Coreia.

O Governo brasileiro conclama a RPDC a cumprir plenamente as resoluções pertinentes do Conselho de Segurança e contribuir ativamente para criar as condições necessárias à retomada das negociações relativas à paz e segurança na Península Coreana.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.