Saiba como será o resgate do Costa Concordia

Atualizado em  14 de janeiro, 2013 - 15:42 (Brasília) 17:42 GMT

Player

Operação envolverá construir estrutura submarina que conduzirá embarcação à posição original.

Assistirmp4

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

Há pouco mais de um ano, mais de 3 mil tripulantes estavam relaxando a bordo do luxuoso cruzeiro Costa Concordia, que fazia o início de uma viagem pelo Mediterrâneo.

Mas agora o navio, que tombou junto a um rochedo na costa da ilha de Giglio, na Itália, está sendo objeto daquela que deverá ser a mais audaciosa operação de resgate já realizada.

As dimensões do navio tornam a operação extremamente complexa. O primeiro passo do desencalhe será impedir que o navio deslize para o fundo do mar.

Isso acontecerá prendendo a embarcação com cabos ultrarresistentes fixados a mastros.

Passo a passo

O passo seguinte será colocar uma placa de aço para segurar o casco do navio. Depois, serão instalados outros cabos e tanques de flutuação.

A terceira operação será colocar sacos de areia e cimento debaixo do casco para dar-lhe maior sustentação.

Clique no gráfico para saber mais sobre o resgate do Costa Concordia

Mastros serão perfurados no fundo do mar, utilizando uma técnica de circuito fechado para garantir que os detritos não contaminem a água.

Nesse meio tempo, serão instaladas plataformas submarinas, para garantir a sustentação do navio. As plataformas serão conectadas aos mastros submarinos.

Etapa final

Após a instalação de todos esses equipamentos, o navio já poderá ser levado de volta para sua posição original, graças a uma máquina especial que irá puxá-lo pouco a pouco.

Para finalizar a operação e fazer o Costa Concordia flutuar normalmente, á água existente nos tanques será substituída por ar.

Assim que o navio partir, toda a estrutura montada será retirada, dando lugar a nova vegetação marinha.

A expectativa é de que a operação seja concluída entre setembro e outubro deste ano.

* O vídeo foi cedido pelas empresas Titan e Microperi, responsáveis pela operação de resgate

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.