Bento 16 deixa oficialmente de ser papa

Atualizado em  28 de fevereiro, 2013 - 17:34 (Brasília) 20:34 GMT

De helicóptero, papa deixa Vaticano

Bento 16 despediu-se de equipe e partiu a bordo rumo a Castel Gandolfo, onde permanecerá pelos próximos dois meses.

Assistirmp4

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

Bento 16 deixou oficialmente de ser papa nesta quinta-feira, se tornando o primeiro pontífice a renunciar ao cargo em 597 anos.

A renúncia papal foi oficializada às 20h (16h de Brasília). O momento foi marcado por uma cerimônia protagonizada por membros da guarda suíça, que deixaram a residência papal em Castel Gandolfo, perto de Roma, e retornaram ao Vaticano.

Em sua despedida como papa, Bento 16 deixou nesta quinta-feira o Vaticano de helicóptero rumo a Castel Gandolfo. Durante sua saída, sinos do Vaticano soaram e uma multidão gritou: "vida longa ao papa".

Chegando a Castel Gandolfo, Bento 16 mais uma vez apareceu em uma janela e falou ao público.

"Muito obrigado por sua amizade", afirmou. "Eu vou ser simplesmente um peregrino que está iniciando a última fase de sua peregrinação nesta terra".

"Vamos seguir em frente com Deus para o bem da Igreja e do mundo", completou.

Obediência

Bento 16 passa a ser chamado agora de papa emérito. Autoridades do Vaticano informam que ele não poderá intervir publicamente no papado de seu sucessor, ainda que possa oferecer conselhos.

O pontífice anunciou no último dia 11 que deixaria o cargo de sumo pontífice. A eleição para o novo papa será realizada em março.

A data do conclave ainda não foi confirmada, mas o porta-voz do Vaticano, Tarciso Bertone, afirmou nesta quinta-feira que os cardeais devem se reunir a partir de segunda-feira para definir o processo de sucessão.

O futuro papa terá como tarefas principais a reforma da burocracia do Vaticano, muitas vezes hesitante na reação a crises que surgiram no papado de Bento 16, disse o correspondente da BBC no Vaticano David Willey.

Entre essas crises estão escândalos de abusos sexuais por clérigos e denúncias de corrupção, que vieram à tona pelo vazamento de documentos do Vaticano.

Despedida

Helicóptero com Bento 16 sobrevoa o Vaticano rumo a Castel Gandolfo (Reuters)

Bento 16 foi de helicóptero a Castel Gandolfo, onde viverá em retiro

Ainda nesta quinta-feira, no Vaticano, Bento 16 recebeu seus cardeais para uma cerimônia de despedida.

O papa prometeu, perante os cardeais católicos, "obediência e reverência" a seu sucessor.

"Entre vocês está o futuro papa, a quem prometo minha obediência e reverência incondicional", disse Bento 16. "A Igreja é um ser vivo, (mas) também se mantém sempre a mesma", disse.

Em seu retiro, Bento 16 (que manterá esse nome) passará a usar uma batina branca simples e trocará seus famosos sapatos vermelhos por marrons.

Seu anel papal seria destruído, como manda a tradição.

Na quarta-feira, cerca de 150 mil pessoas lotaram a praça São Pedro para ouvir um discurso de despedida de Bento 16, que renuncia após quase oito anos no papado.

Ele agradeceu os fiéis por respeitarem sua decisão de abandonar o cargo e disse que esta foi tomada pelo bem da Igreja Católica.

"Houve momentos de júbilo e luz, mas também momentos difíceis", afirmou à multidão, sugerindo a existência de brigas internas dentro da Igreja.

"Houve momentos, como já houve na história da Igreja, em que os mares estiveram agitados e o vento soprou contra nós e parecia que Deus estava adormecido."

Desafios e críticas

Bento 16

Mais cedo, o papa participou de uma cerimônia em que se despediu dos cardeais

Um dos cardeais presentes nos atos de despedida de Bento 16 disse ao correspondente da BBC James Robbins, em Roma, que o clima entre o papa emérito e os cardeais é de "gratidão e amor".

Mas outra fonte no Vaticano diz que a Igreja Católica está "flagelada" com os escândalos de abusos sexuais e que o novo papa terá de prosseguir o combate à pedofilia entre os sacerdotes.

Ao mesmo tempo, a renúncia de Bento 16 foi abertamente criticada pelo principal representante da Igreja Católica na Austrália, o cardeal George Pell, que questionou a liderança papal.

Pell disse que, enquanto Bento 16 foi um "professor brilhante", "governar não foi seu ponto forte".

Leia mais sobre esse assunto

Especial

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.