Bailarino do Bolshoi é preso sob suspeita de atirar ácido em diretor

Atualizado em  5 de março, 2013 - 18:55 (Brasília) 21:55 GMT
Pavel Dmitrichenko atua no balé Ivan, o Terrível (foto: Reuters)

Pavel Dmitrichenko é um dos três suspeitos de atirar ácido no diretor artístico do balé Bolshoi

Um bailarino solista do Balé Bolshoi e duas outras pessoas foram detidas pela polícia russa sob suspeita de envolvimento em um ataque com ácido contra o diretor artístico da companhia.

Os olhos de Sergei Filin foram feridos seriamente quando um homem mascarado atirou ácido sulfúrico em seu rosto em janeiro deste ano.

Os presos foram o bailarino solista Pavel Dmitrichenko e seus supostos comparsas, Yuri Zarutsky e Andrei Lipatov.

Agências de notícias russas afirmaram que Zarutsky é suspeito de ter atirado o ácido. Dmitrichenko seria o mandante do crime.

O papel de Lipatov no crime não foi esclarecido.

Disputas internas

O apartamento de Dmitrichenko foi vasculhado pela polícia de Moscou neste terça-feira, antes da confirmação de que ele havia sido detido.

O bailarino está no Bolshoi desde 2002 e atualmente tinha o principal papel no balé Ivan, o Terrível, de Sergei Prokofiev.

Antes da prisão de Dmitrichenko, uma porta-voz do Bolshoi disse que a companhia estava esperançosa de que o crime fosse resolvido.

A porta-voz afirmou não saber sobre nenhuma disputa entre o bailarino e o diretor Filin, segundo a agência de notícias Reuters.

O ataque ocorrido no meio de janeiro chocou o mundo das artes. Ele aconteceu após um período de disputas internas no Bolshoi, uma das mais prestigiadas companhias de balé da Rússia.

Filin deixou um hospital de Moscou no mês passado para continuar seu tratamento na Alemanha. Ele será submetido a novas cirurgias plásticas e terá um longo período de recuperação.

O diretor artístico, de 42 anos, foi seriamente queimado durante o ataque, que aconteceu em uma rua de Moscou. Filin voltava para casa a pé, tarde da noite.

Segundo a polícia, o agressor se aproximou da vítima, a chamou pelo nome e atirou o ácido em seu rosto - fugindo em seguida.Uma câmera de segurança teria gravado imagens da ação.

Ameaças

O diretor artístico disse depois do crime que sabia quem era o responsável pelo ataque, mas falaria sobre ele apenas após sua identificação formal pela polícia.

Ele disse acreditar que o objetivo do atentado era removê-lo de seu cargo. Filin também disse que já vinha sofrendo ameaças.

A polícia russa interrogou diversos integrantes do Bolshoi como testemunhas do caso. O caso está sendo tratado como uma lesão corporal grave motivada pelas atividades profissionais da vítima.

Médicos alemães já afirmaram que conseguirão recuperar parte da visão de Filin, segundo o correspondente da BBC em Moscou Daniel Sandford.

Segundo ele, a direção do Bolshoi espera que Filin retorne às suas atividades antes do início da turnê da companhia em Londres no meio deste ano.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.