FBI investiga 'ataque terrorista' na Maratona de Boston

O FBI, a polícia federal dos Estados Unidos, descreveu como "um potencial inquérito sobre terrorismo" as investigações sobre as duas fortes explosões que deixaram pelo menos três mortos e mais de cem feridos nesta segunda-feira na linha de chegada da Maratona de Boston.

As explosões sacudiram a região e provocaram cenas de pânico e confusão em um dos maiores eventos esportivos realizados nos Estados Unidos.

Em pronunciamento na televisão, o presidente americano Barack Obama prometeu encontrar e punir os responsáveis pelo ataque, sejam eles indivíduos ou grupos organizados.

"Nós ainda não sabemos quem fez isso ou por que - as pessoas não devem tirar conclusões", afirmou.

"Nós descobriremos quem fez isso. Descobriremos por que fizeram isso", disse Obama. "Qualquer indivíduo ou grupo responsável sentirá o peso total da Justiça."

Apesar de o FBI afirmar que considera a possibilidade de um ataque terrorista, Obama não usou o termo em suas declarações.

A presidente brasileira Dilma Rousseff lamentou o "trágico incidente". Segundo uma nota publicada pela Secretaria de Comunicação, "a presidenta manifestou seu repúdio a esse ato insano de violência e sua solidariedade, em nome de todos os brasileiros, às vítimas e suas famílias"

Ainda não há confirmação sobre qual foi o artefato explosivo usado no atentado. A polícia encontrou uma terceira bomba, que foi neutralizada antes de fazer vítimas. Mais tarde, a polícia recebeu várias denúncias sobre objetos suspeitos.

A polícia amaricana afirmou que as duas explosões na linha de chegada da maratona foram quase simultâneas.

Um incêndio foi registrado na Biblioteca Memorial JFK, nos arredores do centro de Boston. Ninguém ficou ferido.

As autoridades disseram que estão investigando as explosões e o incêncio e que ainda não é possível dizer os casos estão relacionados.

Segurança reforçada

A segurança foi reforçada em edifícios famosos de Nova York e Washington.

Image caption Obama telefonou para autoridades de Boston para oferecer ajuda após explosões

"Nossas orações estão com as pessoas em Boston que sofreram ferimentos", afirmou o vice-presidente, Joe Biden, que participava de uma teleconferência sobre o controle de armas.

Obama telefonou para o prefeito de Boston, Tom Menino, e para o governador de Massachusetts, Deval Pactrick, para oferecer a ajuda do governo federal.

A FAA, a agência que controla a aviação civil nos Estados Unidos, determinou uma zona de exclusão aérea na região das explosões.

Sangue e fumaça

Na linha de chegada da maratona, vítimas ensanguentadas foram inicialmente levadas para uma tenda médica montada no local para atender os corredores da maratona.

Image caption Veículos de emergência foram acionados para socorrer vítimas de explosões em Boston

Serviços de emergência se deslocaram para a área das explosões, que foi rapidamente isolada pelas autoridades.

Autoridades médicas afirmaram que ao menos oito vítimas sofreram aputações. Muitas teriam sido atingidas por pregos e parafusos - que teriam sido usados na confecção dos artefatos explosivos.

Entre as vítimas fatais figuraria uma criança de oito anos de idade. Ela estaria na linha de chegada a espera do pai - que participava da maratona. Contudo, a informação não foi confirmada por fontes oficiais.

A primeira explosão ocorreu por volta das 14h50 locais (15h50, no horário de Brasília), aproximadamente duas horas após os vencedores da maratona terem cruzado a linha de chegada.

De acordo com informações da AP, o forte barulho da primeira explosão foi registrado no lado norte da rua Boylston, pouco antes da ponte que marca a linha de chegada. Outra forte explosão foi ouvida poucos segundos depois.

Pouco depois das explosões, a fumaça era visível diante das bandeiras alinhadas na chegada de uma das maratonas mais antigas e famosas do mundo.

Correria e gritos

Image caption Fumaça era visível na área da linha de chegada da Maratona de Boston

Imagens gravadas de um helicóptero exibiram grandes manchas de sangue no asfalto na popular região de compras e turismo conhecida como Back Bay.

O corredor Mike Mitchell, de Vancouver (Canadá), que tinha completado a maratona, afirmou que estava olhando para trás, para a linha de chegada, quando viu uma "enorme explosão".

A fumaça no local alcançou cerca de 15 metros de altura, segundo o depoimento de Mitchell à agência de notícias Reuters, e as pessoas começaram a correr e gritar.

"Todos ficaram apavorados", contou o canadense.

Os corredores que ainda não tinham completado a maratona foram desviados para longe do local da fumaça das explosões, e as ruas ao redor foram isoladas.

A unidade da Cruz Vermelha para o leste do Estado de Massachusetts montou um centro de resposta a desastres no local.

A Maratona de Boston é um dos maiores eventos anuais de atletismo nos Estados Unidos e atrai um grande número de corredores, além de milhares de espectadores.

Notícias relacionadas