Testemunhas de ataque a maratona relatam cenas de sangue e caos

Participantes de maratona reagem a explosão (foto: Reuters)
Image caption Testemunha diz ter sentido cheiro de pólvora no local das detonações

Duas explosões deixaram mais de 100 pessoas feridas e ao menos três mortos na maratona de Boston, um dos maiores eventos esportivos dos Estados Unidos. Testemunhas que estavam próximas ao local do ataque relatam cenas de caos e desespero. Leia abaixo alguns desses relatos:

Marcelo Wigman, brasileiro, aluno do Massachusetts Institute of Technology (MIT)

Fui sozinho assistir à maratona. Estava próximo à linha de chegada, quando, de repente, ouvi um barulho ensurdecedor, seguido de um tremor no chão. Era a primeira bomba.

Pouco depois, antes mesmo de eu recobrar os sentidos, o segundo artefato estourou. Foi tudo muito rápido. As pessoas entraram em pânico e começaram a correr.

Vi gente ensaguentada e crianças sem os pais. De imediato, me veio à cabeça que se tratava de um atentado terrorista. Meu ouvido ainda dói.

Bruce Mendelsohn, veterano de guerra

Eu ouvi a explosão, eu vi a fumaça e senti uma explosão menor, secundária, cinco minutos depois.

Quando eu saí do prédio (em frente ao local do ataque), a rua estava manchada com sangue e coberta de estilhaços.

As feridas que eu ví eram compatíveis com uma explosão ocorrida no nível do solo. Imediatamente eu tentei ajudar os socorristas que estavam no local.

Era aterrorizante. As pessoas estavam pedindo ajuda pelo telefone da polícia. O cenário foi de festivo a caótico e sangrento imediatamente. A explosão veio de um prédio e lançou cacos de vidro. Havia pedaços de vidro espalhados por toda parte.

Eu ví fumaça branca e senti cheiro que parecia ser de cordite (material propelente usado em armas) ou pólvora. Eu pressionei os ferimentos e usei camisetas e outros materiais para tentar conter os sangramentos. Eu consegui um kit de primeiros socorros com um soldado que estava no local.

Depois a polícia chegou e afastou todos para longe do local.

Josh Cox, corredor de elite e comendador

Havia corpos e pessoas feridas no chão. Muitos corredores que tinham terminado a maratona estavam chorando. É algo tráfico, realmente trágico.

Foi um barulho massivo. Quando a primeira explosão aconteceu o chão todo tremeu. Eu não pensei que fosse uma bomba, mas a explosão de um transformador, de um gerador – eu tirei uma foto. Logo quando eu estava tirando a foto veio a segunda explosão. Nessa hora todos se desesperaram e começaram a fugir.

A área estava lotada, era a Maratona de Boston – havia mais de 27 mil pessoas participando e mais de meio milhão assistindo. A maioria dessas pessoas foi para a linha de chegada para ver amigos e parentes acabarem a prova. Você mal consegue caminhar pela rua Boylston. É ombro a ombro, você mal consegue se mexer.

Fatma Tanis, jornalista

Eu estava na praça Copley, a 100 metros da explosão. Eu estava entrevistando um dos maratonistas e a minha câmera rolou.

Subitamente eu ouvi um barulho alto, como um canhão disparando. O chão tremeu .

Depois eu vi uma bola de fogo e fumaça. Havia uma confusão em massa. As pessoas estavam com medo. Mais perto do local havia pessoas com cortes nos rostos, outras estavam correndo.

Eu andei em direção ao local da explosão. Eu vi sangue no chão e muitos corpos, mas a segunda explosão não foi tão alta.

Notícias relacionadas