Em Boston, Obama promete levar à justiça responsáveis por ataques

  • 18 abril 2013
Barack Obama em Boston | Foto: AP
Image caption O presidente voltou a prometer que os culpados serão levados à Justiça

O presidente americano, Barack Obama, prometeu nesta quinta-feira, durante o funeral das três vítimas das explosões na Maratona de Boston, que os responsáveis pelos ataques serão identificados, capturados e devem enfrentar a Justiça dos Estados Unidos.

Além das três mortes, os atentados ocorridos na segunda-feira deixaram 170 feridos, sendo que muitos tiveram braços e pernas amputados.

O discurso de Obama na catedral católica de Boston foi feito durante uma celebração ecumênica transmitida por emissoras de televisão de todo o mundo, e chega ao mesmo tempo em que as investigações revelaram imagens de vídeo nas quais dois potenciais suspeitos aparecem carregando bolsas pretas.

O democrata foi aplaudido de pé diversas vezes durante seu discurso. "Nós encontraremos vocês, nós vamos fazer vocês pagarem", ameaçou.

"O espírito desta cidade não foi atingido, o espírito deste país deve permanecer intacto. Eles procuraram nos intimidar, nos aterrorizar. Mas já deve estar bem claro agora que eles escolheram a cidade errada para fazer isso", disse o presidente.

Investigações

Também nesta quinta-feira, a secretária de Segurança Nacional americana, Janet Napolitano, disse que o FBI (polícia federal dos Estados Unidos) quer falar com dois homens que aparecem em imagens de vídeo, mas não os classificou como suspeitos.

"Há imagens de vídeo que levantaram a questão sobre os homens com quem o FBI quer conversar. Eu não os caracterizaria como suspeitos sob os termos técnicos, mas precisamos da ajuda do público para localizá-los", explicou.

Ela também não forneceu maiores detalhes sobre a possibilidade de os ataques terem sido perpetrados por grupos domésticos ou estrangeiros, mas disse que a investigação continua e alertou que o nível de segurança em aeroportos e grandes eixos de transporte tinha sido elevado.

O FBI voltou a negar que tenha detido qualquer pessoa até o momento, e frisou que seus investigadores têm vasculhado milhares de imagens de câmeras de segurança, da mídia e fotografias pessoas feitas pelos turistas e locais que assistiam à maratona.

Vítimas

Analistas indicam que as autoridades estão receosas de divulgar imagens com base na experiência prévia de 1996, quando imagens tornadas públicas durante as investigações do atentado ocorrido durante as Olimpíadas de Atlanta levaram à prisão de um homem inocente.

Até o momento já foram encontrados uma bateria e um circuito integrado, que faziam parte de um mecanismo detonador, e a tampa de uma panela de pressão – aparentemente lançada para longe durante a explosão. Ela foi localizada no topo de um prédio vizinho à linha de chegada da corrida.

Autoridades vêm dizendo que as bombas consistiam em explosivos detonados no interior de panelas de pressão, e até agora não houve nenhum grupo ou indivíduo que reivindicasse a autoria do ataque.

As duas explosões mataram Martin Richard, de oito anos, Krystle Campbell, de 29 anos, e Lu Lingzi, de 23 anos, uma estudante de pós-graduação da China.

Dezenas de pessoas permanecem internadas, ao menos 14 em estado grave, e há relatos de que ao menos dez vítimas tiveram pernas ou braços amputados.

Notícias relacionadas