Quase 20% dos brasileiros admitem ter furtado algo de hotel

  • 23 abril 2013
Turistas com malas (Foto PA)
Image caption Alguns turistas voltam para casa com objetos furtados de hotéis na mala

Uma nova pesquisa indica que quase 20% dos brasileiros admitem já ter furtado algo de algum hotel em que estiveram hospedados.

A pesquisa feita pelo site Hotels.com ouviu 8,6 mil turistas de 29 nacionalidades, perguntando a eles se alguma vez já haviam furtado algo de seus locais de hospedagem. Com base nas respostas, foi feito um ranking dos países de origem dos viajantes mais "honestos".

Os dinamarqueses ficaram em primeiro lugar - apenas 12% dos turistas desse país disseram já ter roubado algo de algum hotel.

Em segundo e terceiro lugar no ranking vêm Holanda (15%) e Noruega (16%), respectivamente.

O Brasil ficou em quarto lugar, juntamente com Canadá e Hong Kong. No total, 19% dos brasileiros admitiram já ter levado para casa objetos roubados do local em que estavam.

Trata-se do melhor índice entre os latino-americanos. A Argentina, segunda colocada da região, ficou em 11º lugar, com 23% dos entrevistados admitindo furtos em hotéis.

Desonestos

Entre as 29 nacionalidades, os menos "honestos" - ou talvez os mais dispostos a admitir o crime - foram os colombianos.

No total, 57% dos turistas dessa nacionalidade disseram já ter levado algo que não deveriam do seu hotel.

O segundo pior resultado foi o dos mexicanos - 40% admitiram algum furto. E o terceiro pior o dos indianos - 38% disseram já ter roubado.

A pesquisa mede somente a porcentagem dos que "admitem" a infração. E, embora haja sigilo sobre a identidade dos entrevistados, não há como garantir que eles estão falando a verdade.

Um turista que seja tão "desonesto" a ponto de não só roubar hotéis, mas também minta ocultando tais furtos, terminaria sendo classificado como "honesto" no Hotels.com.

Entre os itens mais roubados, segundo o site, estariam revistas, livros, toalhas e lençóis.

Os chineses "desonestos" destoariam um pouco dos contraventores de outras nacionalidades - eles prefeririam roubar objetos de decoração, como abajures e relógios.

Notícias relacionadas