Hyundai retira do ar comercial polêmico com tentativa de suicídio em carro

  • 26 abril 2013
Automotiva e agência publicitária pediram desculpas por anúncio

A montadora Hyundai retirou do ar um anúncio online que mostrava um homem tentando se matar dentro de um carro em uma garagem usando os gases lançados pelo escapamento do veículo - um novo modelo da empresa que não emite gases tóxicos como CO2.

A Hyundai pediu "desculpas sinceras pelo vídeo ofensivo que se tornou viral".

No comercial, um homem se tranca dentro da garagem de sua casa, liga o motor do carro e fecha os olhos aguardando que os gases produzidos pelo veículo ponham um fim a sua vida.

Em seguida, ele abre a porta da garagem, sai do veículo com ar de frustração e se dirige à porta de casa.

O comercial termina com uma mensagem na tela dizendo que o veículo ix35 promove "100% de emissão de água", indicando que os gases produzidos pelo modelo não poderiam representar uma ameça à saúde de uma pessoa.

'Enojada'

A britânica Holly Brockwell, cujo pai cometeu suicídio dentro de um carro em 1990, quando ela tinha 5 anos de idade, escreveu em seu blog sobre o quanto ela se sentiu "vazia" e "enojada".

O texto do blog foi lido por milhares de pessoas e escrito em forma de uma carta aberta à Hyundai e à agência publicitária Innocean, responsável pela produção do comercial.

"Quando seu comercial começou a passar, eu comecei a tremer, tremi tão forte que tive de deixar de lado a bebida que tinha nas mãos, se não eu a derramaria. Então, comecei a chorar."

Ela acrescentou que "surpreendentemente, quando cheguei ao final do vídeo, quando nós vemos que o homem na verdade não morre, graças às emissões não-poluentes da Hyundai, eu não parei de chorar".

"Eu não senti subitamente que minhas lágrimas eram justificáveis por sua divertida mensagem. Só me senti vazia. E enojada. E queria meu pai de volta", escreveu Brockwell.

A blogueira, curiosamente, é consultora criativa de publicidade, mas acrescentou que "nunca cruzaria minha mente chegar a esse ponto".

A agência publicitária Innocean afirmou que a intenção do vídeo era "usar uma hipérbole para dramatizar uma vantagem do produto, que leva a um desfecho positivo".

"Claramente, cometemos um erro e pedimos desculpas sinceras."

No Brasil, no último sábado, uma criança de 2 anos morreu na cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, após inalar monóxido de carbono do escapamento do carro de seus pais, que tinha um vazamento.

Notícias relacionadas