Cardeal diz ser blasfêmia culto à Santa Morte no México

Imagens da Santa Morte em Albuquerque, no Estado americano do Novo México (AP)
Image caption Culto à Santa Morte é registrado no México e nos Estados Unidos

Um representante do Vaticano disse durante uma visita ao México que o culto à chamada Santa Morte – que aparentemente está se tornando mais popular no país - é uma "blasfêmia" e uma "degeneração da religião".

Os devotos da Santa Morte rezam para a imagem de um esqueleto feminino vestido com uma túnica e com uma foice na mão. O culto, que se acredita que já exista desde os tempos coloniais, mistura crenças indígenas com a tradição de veneração aos santos, introduzida pelos missionários cristãos depois da conquista do México pela Espanha.

"A religião celebra a vida, mas aqui você tem a morte", afirmou o presidente do Conselho Pontifício para Cultura, cardeal Gianfranco Ravasi.

"Não é religião apenas porque está vestida de religião; é uma blasfêmia contra a religião."

Tráfico

Ravasi também se referiu ao fato de que o culto à Santa Morte é particularmente popular entre membros dos cartéis de traficantes de drogas e em regiões onde são registrados episódios de violência relacionados ao tráfico.

O cardeal afirmou que um país como o México, no qual se estima que 70 mil pessoas tenham sido mortas em crimes relacionados ao tráfico de drogas nos últimos seis anos, precisa enviar uma mensagem clara para os jovens.

"A máfia, o tráfico de drogas e o crime organizado não têm um aspecto religioso e não têm nada a ver com religião, mesmo que eles usem a imagem da Santa Morte", afirmou, acusando "criminosos" de estimular a adoração.

Geralmente o culto ocorre em altares feitos nas casas dos devotos onde eles colocam oferendas como velas, frutas e tequila para conseguir uma graça da Santa Morte.

Não existem estimativas confiáveis que mostrem quantos são os devotos da Santa Morte, mas estudiosos afirmam que o número de templos dedicados à ela aumentou no México e nos Estados Unidos, onde o culto é popular entre os imigrantes mexicanos.

Em 2012, a polícia do norte do México prendeu oito pessoas por envolvimento com a morte de dois meninos e uma mulher em sacrifícios. Segundo a promotoria, estes sacrifícios estavam ligados ao culto da Santa Morte.

Notícias relacionadas