A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Homem que se incendiou em protesto contra pobreza diz que não se arrepende

Image caption Dimitar Dimitrov ateou fogo no próprio corpo em frente ao palácio presidencial da Bulgária.

Um homem que ateou fogo a si mesmo em um protesto contra a pobreza na Bulgária disse que não se arrepende do seu ato, que considerou um sacrifício em nome de todo o povo búlgaro.

Dimitar Dimitrov cometeu o ato em março deste ano, em frente ao palácio presidencial na capital do país, Sofia. Ele jogou gasolina sobre si mesmo e acendeu as chamas, que foram apagadas por integrantes da própria guarda presidencial.

Seu protesto, no entanto, não foi um caso isolado. Ao todo seis pessoas se autoimolaram durante semanas de manifestações contra o aumento de preços e as políticas de austeridade do governo búlgaro no início de 2013. Quatro delas acabaram morrendo.

As manifestações desestabilizaram o governo, forçando a renúncia do então primeiro-ministro, Boiko Borisov, em fevereiro.

Mas o partido político de Borisov, o GERB, de centro-direita, é um dos favoritos para a eleição parlamentar que está sendo realizada na Bulgária neste domingo.

O principal desafiante da agremiação é o socialista PSB.

Pesquisas de opinião indicam uma disputa acirrada entre os dois partidos.

A Bulgária é o país mais pobre da União Europeia e 22% de sua população vive abaixo da linha de pobreza.