'Pensamos que íamos morrer', conta sobrevivente de tornado nos EUA

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Equipes de emergência trabalham em busca de sobreviventes no cenário de devastação deixado por um forte tornado que atingiu na segunda-feira a cidade de Moore, um subúrbio de Oklahoma, no sul dos Estados Unidos.

De acordo com o mais recente balanço das autoridades, 24 mortes foram confirmadas, incluindo crianças que estavam em uma escola destruída pela tempestade com ventos de até 320 km/h. Relatos iniciais chegaram a apontar mais de 90 mortes.

"Nós nos trancamos no porão quando vimos o tornado chegando", contou Ricky Stover, morador de Moore, que conseguiu escapar pouco antes de ter sua casa destruída pelo tornado.

"O barulho foi só aumentando e, de repente, a força do vento arrebentou o trinco e só sentimos vidros e todo o resto voando na nossa direção", acrescentou. "Pensamos que íamos morrer."

Mais de 120 pessoas foram hospitalizadas após a passagem do tornado, que durou 45 minutos e tinha mais de três quilômetros de diâmetro.

Segundo autoridades meteorológicas americanas, a tormenta deve ser incluída na segunda categoria da Escala Fujita, com ventos de até 320 km/h.

As crianças que morreram estavam na Plaza Tower Elementary School, que foi completamente destruída pelo tornado. Outras dezenas de crianças permanecem desaparecidas.

"A escola foi completamente devastada. As paredes ficaram achatadas como panquecas", afirmou à BBC o vice-governador do Estado de Oklahoma, Todd Lamb.

Estado de emergência

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Segundo Alastair Leithead, jornalista da BBC em Moore, apesar da ocorrência de tornados ser comum na região, muitas pessoas não têm porões em suas casas e acabam sem ter para onde fugir.

"A escola, por ter uma estrutura sólida, com paredes de tijolos, parecia ser um lugar seguro. Mas, quando o teto saiu voando, todo o resto veio abaixo", afirma Leithead.

Segundo autoridades locais, outra escola, a Briarwood Elementary School, também foi fortemente atingida, mas não há relatos de mortes ou feridos.

O presidente Barack Obama declarou estado de emergência na região e ordenou que cerca de 200 membros de equipes de emergência federais se unam às operações de resgate em Oklahoma.

"As pessoas em Moore devem saber que o país vai permanecer firme, do lado delas, pelo tempo que for necessário", afirmou Obama.

A governadora do Estado, Mary Fallin, disse que a destruição do tornado marcou um dia trágico para o Estado.

Devastação

O meteorologista Rick Smith Norman, do Serviço Nacional de Meteorologia, disse à BBC que esse foi o tornado mais forte que ele já viu em 20 anos de carreira.

"A devastação causada pelo tornado da segunda-feira não se compara a nada que já vimos antes", afirmou Smith.

Em 1999, Moore já havia sido varrida por um tornado, que matou 44 pessoas e destruiu milhares de casas.

Betsy Randolph, da Patrulha Rodoviária de Oklahoma, disse à rádio local Skynews 9 que os estragos do tornado desta segunda-feira foram maiores do que os de 1999.

No domingo, um tornado de menor dimensão atingiu um estacionamento de trailer na localidade de Shawbnee, também no Estado de Oklahoma, e matou duas pessoas.

Notícias relacionadas