Avião é escoltado por caças britânicos após suposta ameaça

Avião paquistanês interceptado / Reuters
Image caption Avião da PIA deveria pousar em Manchester, mas aterrissou em Londres

Dois homens foram presos nesta sexta-feira depois que caças da Força Aérea britânica escoltaram um avião de passageiros que havia partido do Paquistão com o destino ao Reino Unido.

Assim que a aeronave pousou, policiais embarcaram no voo PK709 da Pakistan International Airlines (PIA), que deveria pousar em Manchester, mas foi desviado para o aeroporto de Stansted, em Londres.

Os dois homens, de 30 e 41 anos, são suspeitos de colocar a aeronave em risco, segundo a polícia de Essex.

Um porta-voz da companhia aérea paquistanesa afirmou que todos os passageiros a bordo deixaram a aeronave em segurança.

O avião saiu de Lahore, capital da província de Punjab, no nordeste do Paquistão, às 9h35 locais (1h35 de Brasília). A aeronave deveria chegar em Manchester às 10h (14h de Brasília).

A PIA informou que havia 308 passageiros a bordo, além de 14 tripulantes, incluindo os pilotos, de nacionalidades paquistanesas e britânicas.

O correspondente de Defesa da BBC, Jonathan Beale, disse que há indícios de uma ameaça durante o voo, com algum tipo de arma ou bomba – embora a suspeita ainda não tenha sido confirmada pelas autoridades.

Sinal de emergência

Um passageiro afirmou à BBC que o piloto teria comunicado aos ocupantes do voo que as ameaças eram reais.

O aeroporto de Stansted disse que o comandante da aeronave também alertou as autoridades sobre o incidente, mas não explicou o episódio em detalhes.

Um porta-voz do aeroporto afirmou que os passageiros foram retirados da aeronave logo após o pouso.

"Eles serão encaminhados a um local no aeroporto onde a polícia colherá depoimentos", disse o porta-voz. "Em algum momento, a polícia e a companhia aérea vão cuidar do transporte dos passageiros a Manchester."

Mashhood Tajwar, porta-voz da Pakistan International Airlines (PIA), informou que o incidente foi seguido por uma comunicação ao controle de tráfego aéreo.

Segundo Tajwar, de 20 a 30 minutos antes do pouso, a informação recebida pelo controle de tráfego aéreo em Manchester indicava que havia algum tipo de "ameaça à segurança".

"No entanto, ainda não temos certeza do real motivo da comunicação", acrescentou.

"Houve certamente um incidente significativo, no entanto, o fato de os caças terem escoltado o avião não é atípico", disse à BBC Philip Baum, consultor da Aviation Security International.

"Essa decisão normalmente é tomada quando há uma suspeita de bomba, quando há um sequestro, quando um código do transponder é digitado incorretamente ou se a aeronave não consegue se comunicar com a torre de controle", acrescentou Baum.

"Porém, às vezes, o resultado não passa de um passageiro indisciplinado a bordo."

"O que é interessante neste caso é que a aeronave estava a 10 minutos do pouso – segundo os relatos iniciais – quando foi desviada para o Stansted. Essa mudança não é comum e pode ser evidência de que algo sério tenha acontecido."

Notícias relacionadas