Homem é indiciado pela morte de soldado em Londres

Memorial a Lee Rigby
Image caption Rigby foi morto a facadas nas ruas do sudeste de Londres, em caso que elevou as tensões religiosas

Autoridades britânicas indiciaram nesta quarta-feira Michael Adebowale, pela morte de um soldado britânico em Woolwich, sudeste de Londres, na semana passada - em caso que causou comoção e preocupação no país.

Adebowale, de 22 anos, nascido em Londres de família nigeriana, foi indiciado também por posse ilegal de armas.

Sue Hemming, uma das investigadoras, disse que "há provas suficientes para processar Adebowale, e é do interesse público que o façamos".

O segundo acusado do crime, Michael Adebolajo, de 28 anos, permanece detido em um hospital.

O caso é investigado pela unidade de contraterrorismo da polícia britânica.

'Múltiplos golpes'

O soldado Lee Rigby, de 25 anos, foi morto a golpes de facões em 22 de maio, em uma rua de Woolwich. A autópsia revelou que ele sofreu "múlriplos golpes".

Os dois suspeitos pelo crime afirmaram, em imagens que circularam o mundo nos últimos dias, que suas ações foram motivadas pelo fato de que "soldados britânicos matam muçulmanos todos os dias".

Acredita-se que os acusados sejam de origem cristã, mas tenham se convertido ao islã.

O caso aumentou as preocupações quanto ao crescimento de ataques extremistas isolados, em reação a guerras lutadas por tropas ocidentais em regiões de população muçulmana.

Além disso, elevou as tensões religiosas no país.

Uma organização que promove a cooperação inter-religiosa na Grã-Bretanha afirma que vem registrando um aumento no número de ofensas contra muçulmanos desde o assassinato de Rigby.

Notícias relacionadas