Conflitos forçam encerramento de campeonato nacional de futebol no Egito

  • 12 julho 2013
O time Al Ahly - Foto: AFP
Image caption O Al Ahly foi declarado campeão

Os conflitos no Egito forçaram o encerramento prematuro do campeonato nacional de futebol do país.

Os times Al Ahly e Zamalek foram declarados campeões, já que estavam na liderança de seus respectivos grupos, de nove equipes cada, um formato que foi decidido quando o torneio foi retomado em fevereiro, após um ano parado em consequência dos confrontos no estádio de Port Said, no qual mais de 70 pessoas morreram.

As duas melhores equipes de cada grupo - Ahly, Zamalek, Enppi e Ismaili - deveriam avançar para semifinais, com os vencedores indo para a final.

Mas com as turbulências sociais e políticas que atravessam o país nas últimas semanas e a tensão e situação de instabilidade geradas pelo golpe que derrubou o presidente Mohammed Morsi, as autoridades resolveram dar por encerrada a competição.

A decisão foi tomada depois de uma reunião da direção da Associação de Futebol do Egito (EFA), e após a aprovação por maioria dos 18 clubes no campeonato - apesar de Zamalek, que estava invicto, e do Enppi não serem a favor.

O Zamalek pediu compensação financeira pelo encerramento prematuro da competição.

Mas o presidente da EFA, Gamal Allam, disse que os clubes que rejeitaram a decisão não têm o direito de pedir qualquer indenização, porque a decisão foi tomada por razões de segurança.

A liga tinha sido programada para terminar no dia 29 de junho, mas foi suspensa por causa das marchas e incidentes que começaram uma semana antes.

A EFA pediu ao Ministério do Interior que os jogos em atraso fossem realizados, mas as autoridades de segurança se recusaram por causa dos problemas após a derrubada do presidente Mohammed Morsi.

Ainda não se sabe se a participação dos clubes declarados campeões, o Al Ahly e o Zamalek, na próxima Liga dos Campeões Africanos será afetada.

Notícias relacionadas