Troca de mensagens com acusado de corrupção põe premiê espanhol sob pressão

Mariano Rajoy (AFP)
Image caption Rajoy teria recebido pagamentos ilícitos de ex-tesoureiro do partido nos anos 90.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, está sofrendo pressão para renunciar depois que o jornal espanhol El Mundo divulgou, no domingo, que ele teria trocado mensagens telefônicas com um homem que está preso há duas semanas, acusado de gerenciar pagamentos ilícitos e de fraude fiscal.

Segundo o jornal El Mundo, Rajoy teria enviado mensagens de apoio a Luís Barcenas, ex-tesoureiro do Partido Popular (PP), partido do premiê, de quem teria recebido pagamentos nos anos 90.

Bárcenas é acusado de lavagem de dinheiro, fraude fiscal e falsificação de documentos, acusações que ele nega.

Em uma das mensagens enviadas por Rajoy a Bárcenas em 2012, o premiê teria dito:

"Luis, nada é fácil, mas fazemos o que podemos. Ânimo".

Em outra, ele teria escrito:

"Luis, eu entendo. Seja forte. Eu te ligo amanhã. Abraços."

De acordo com as informações divulgadas no diário, Bárcenas administrava um fundo em que depositava doações de magnatas da construção civil para depois redistribuí-las entre os líderes do partido.

Em seu portal na internet, o El Mundo publicou que "os papéis originais de Bárcenas, que incluem parte da contabilidade B do PP, mostram pagamentos a Mariano Rajoy em 1997, 1998 e 1999, quando era ministro de José Maria Aznar (ex-premiê)."

"Os recebimentos seriam uma violação à lei que proibia qualquer ingresso extra, público ou privado, e repasse aos membros do governo", acrescentou o jornal.

Indignação

O El Mundo ainda publicou mensagens trocadas entre a esposa de Bárcenas, Rosalía Iglesias, e Rajoy.

O jornal disse que as mensagens são uma pequena parte do total, acrescentando que "Bárcenas demonstrou interesse especial na divulgação do material".

O governo admitiu que as mensagens são reais, mas alegou que a publicação faz parte da intenção do ex-tesoureiro para desviar a atenção das acusações que pesam contra ele.

Os documentos obtidos pelo diário foram entregues por seu diretor à Audiência Nacional.

As denúncias de irregularidades no alto escalão do governo causaram indignação no país, mergulhado na recessão e com taxa de desemprego que bate os 27%.

Alfredo Perez Rubalcaba, líder do principal partido de oposição, o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), pediu a renúncia imediata de Rajoy "diante da situação política insustentável da Espanha".

"A conduta de Rajoy neste caso pode ser resumida de forma simples: silêncio, mentiras, conluio", disse Rubalcaba.

Além dos pagamentos ilícitos ao PP, Bárcenas está sendo investigado por denúncias de ter estocado cerca de 48 milhões de euros (R$ 164 milhões) em contas bancárias na Suíça. Segundo promotores, parte dos fundos seria proveniente de doações ilegais para o Partido e de pagamentos de propina.

Ele a mulher ainda são acusados de falsificar documentos em suas declarações de imposto de renda entre 2002 e 2006. O casal nega.