Maquinista do trem que descarrilou na Espanha é acusado de homicídio

  • 27 julho 2013
Image caption O maquinista Francisco Garzon Amo ficou levemente ferido no acidente

O Ministro do Interior da Espanha, Jorge Fernandez Diaz, disse que o condutor do trem que descarrilou essa semana matando 78 pessoas foi acusado de "homicídio por imprudência".

O ministro disse que o condutor, Francisco Jose Garzon Amo, que ficou levemente ferido no acidente de quarta-feira, havia sido levado para uma delegacia.

Garzon é suspeito de dirigir rápido demais em uma curva. Os relatórios dizem que o trem estava viajando a uma velocidade de 190 km/h, onde o limite de velocidade é 80 km/h, no momento do acidente.

Pelo menos 130 pessoas foram levadas ao hospital após o acidente que aconteceu próximo a cidade espanhola de Santiago de Compostela.

Trinta e duas pessoas ficaram gravemente feridas, incluindo crianças.

Brasileiro entre as vítimas

Um jovem de 25 anos, com dupla nacionalidade - brasileira e espanhola - é uma das vítimas fatais do acidente.

O nome do brasileiro consta em uma lista de vítimas fatais divulgada pela imprensa da Galícia. Segundo o Itamaraty, a família pediu para que sua identidade e informações pessoais não fossem divulgadas.

Image caption Maquinista acusado de direção negligente é preso pela polícia espanhola

A pasta afirmou ainda ter oferecido assitência consular para os familiares da vítima, mas eles teriam recusado a ajuda.

Pessoas de várias nacionalidades estavam entre os feridos.

O trem, que viajava da capital espanhola Madri para a cidade costeira de Ferrol, descarrilou próximo a Santiago de Compostela.

Mais de 200 passageiros estavam a bordo, de acordo com a operadora de trens do país, Renfe. Muitos ficaram presos nas ferragens.

Todos os 13 vagões teriam saído dos trilhos e quatro deles teriam tombado.

Pior acidente de trem em 40 anos

Os trens estavam especialmente cheios no dia do acidente por ser véspera de feriado, segundo o correspondente da BBC em Madri.

De acordo com o jornal espanhol El País, o antepenúltimo vagão do trem foi totalmente destruído. Passageiros que sobreviveram ao acidente relataram ao jornal que sentiram o trem tombar na curva e, em seguida, se viram "rodeados de mortos".

De acordo com a agência de notícias AFP, o chefe da companhia ferroviária espanhola Renfe disse a uma emissora de rádio que o trem tinha sido aprovado em uma inspeção naquela manhã e que a vistoria não apontou problemas técnicos na composição.

Analistas dizem que este seria o pior acidente de trem na Espanha em 40 anos.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, declarou três dias de luto oficial na quinta-feira

Notícias relacionadas