Vaticano considera Jornada da Juventude um sucesso

Papa Francisco (foto: Getty)
Image caption Próxima Jornada Mundial da Juventude será na Cracóvia, Polônia, em 2016.

Após seis dias de visita do papa Francisco ao Brasil e a reunião de 3,2 milhões de pessoas em uma missa em Copacabana, no Rio de Janeiro, o Vaticano considerou a JMJ (Jornada Mundial da Juventude) um sucesso.

Ao se dirigir aos jovens durante sua estada, o papa fez diversas referências para estimular os fiéis a atuarem como missionários para espalhar a fé católica pela sociedade. Segundo analistas, esse era um dos principais focos da visita, considerando-se um contexto no qual o percentual de católicos vem caindo no país.

Dados do último Censo, em 2010, revelaram que os católicos somavam 123,3 milhões, ou 64,6% da população brasileira, contra aproximadamente 125 milhões, ou 73,6% do total, em 2000.

Ao se despedir dos brasileiros, em cerimônia na base aérea do Galeão neste domingo, Francisco afirmou ter rezado para a Virgem Maria pedindo que ela reabasteça a fé cristã no Brasil.

O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, disse que os objetivos da jornada foram atingidos. Ele ressaltou a força da parcela jovem da Igreja no Brasil e elogiou a capacidade dos organizadores do evento para transferir rapidamente a Vigília dos Jovens e a Santa Missa de um terreno em Guaratiba – que ficou encharcado por causa das chuvas – para a praia de Copacabana.

Enquanto esteve no Brasil, o papa passou uma imagem de carisma ao beijar crianças, abraçar fiéis, visitar uma favela e um local de tratamento para dependentes químicos, sobrevoar a estátua do Cristo, no Rio, entre outras atividades. Enquanto isso acontecia, aumentava o número de participantes dos eventos previstos na agenda do pontífice.

Ao reunir 3,2 milhões de pessoas na Santa Missa, na manhã de domingo em Copacabana, a versão brasileira da JMJ se tornou a segunda maior edição do evento na história, desde sua criação em 1984. A maior reunião de fiéis ocorreu em 1995, quando o papa João Paulo 2º vistiou Manila, nas Filipinas.

O evento também representou a maior concentração de público da história da praia de Copacabana, segundo a Prefeitura do Rio.

O instituto Datafolha afirmou que o número de participantes, divulgado pela organização do evento, foi superestimado. A entidade avalia que o público total girou entre um milhão e 1,2 milhão de pessoas.

Polônia

Um dos principais anúncios do papa no seu último dia de vista ao Brasil foi a realização da próxima edição da Jornada Mundial da Juventude em 2016 na Cracóvia, a segunda maior cidade e capital cultural da Polônia.

O anúncio foi celebrado imeditamente na praia de Copacabana por dezenas de poloneses que acompanhavam a missa.

O evento será uma homenagem ao papa João Paulo 2º, que criou a JMJ, foi cardeal de Cracóvia e pode ser canonizado nos próximos meses, segundo o Vaticano.

“Naturalmente com a perspectiva de canonização de João Paulo 2º nos próximos meses é interessante realizar a próxima Jornada em sua cidade, porque ele com certeza será o protetor da Jornada”, disse Lombardi.

O arcebispo de Cracóvia, o cardeal Stanislaw Dziwisz, afirmou que receber o evento será uma honra e uma grande responsabilidade. Em 2016, a Polônia, cuja população é majoritariamente católica, celebra seu aniversário de 1050 anos de batismo – quando teve início a cristianização do país.

Notícias relacionadas