China diz que 30% da população não fala idioma oficial

  • 6 setembro 2013
Alunos em escola chinesa. Foto: Reuters
Image caption Tamanho do país e variedade étnica são desafios para ensino do mandarim

O ministro da Educação da China disse na quinta-feira que cerca de 400 milhões de pessoas – ou 30% da população do país – não falam mandarim, o idioma nacional.

Das 70% que falam mandarim, muitos não falam bem o suficiente, disse uma porta-voz do ministério à agência de notícias estatal Xingua.

A China tem milhares de dialetos e diversa línguas regionais pouco conhecidas. Entre as mais famosas estão o cantonês e o hokkien.

O mandarim – que antigamente era conhecido como Putonghua (ou "língua comum") – é uma das línguas mais faladas do mundo.

O governo chinês está criando uma nova iniciativa no país para tentar estimular o ensino da língua. A porta-voz do ministério da Educação disse que o foco principal da ação serão as comunidades rurais e de minorias étnicas.

Por décadas, o Partido Comunista chinês promoveu o mandarim em uma tentativa de unificar a nação.

Mas os esforços enfrentaram desafios como o tamanho do país e a falta de investimentos em educação, especialmente nas zonas rurais.

Outro problema foi a resistência de alguns grupos, especialmente as minorias étnicas. Em 2010, houve protestos no Tibete contra o uso do mandarim em escolas. Os manifestantes alegavam que a língua nacional chinesa estava prejudicando o ensino da cultura e do idioma locais.

Notícias relacionadas