Vídeos sugerem presença de iranianos entre forças de governo na Síria

Combatentes na Síria. Foto: YouTube
Image caption Imagens sugerem presença de integrantes das Guardas Revolucionárias iranianas na Síria

Imagens publicadas na internet sugerem que agentes do Irã estariam envolvidos no conflito na Síria, combatendo ao lado das forças do presidente Bashar al-Assad.

Alguns vídeos mostram combatentes iranianos do braço das Guardas Revolucionárias que atua no exterior, a Força Quds. As imagens também mostram treinamentos de combatentes sírios no Irã.

Os vídeos foram colocados na internet por grupos de oposição da Síria. O material, segundo eles, vem de fitas confiscadas de um câmera iraniano que morreu durante um dos combates.

Pelo menos cinco iranianos – em meio a vários oficiais sírios – aparecem na imagem usando uniformes militares.

Imagens antigas

As conversas ouvidas nas gravações indicam que o grupo está na cidade de Aleppo, no norte da Síria. Ao fundo, é possível ver cartazes em árabe e farsi.

Um dos iranianos, aparentemente o comandante do grupo, se dirige à câmera, dizendo que está na Síria há um ano. Ele diz que está lutando pela Força Nacional de Defesa, uma milícia voluntária em defesa de al-Assad que vem crescendo nos últimos dias.

Em um determinado momento, a câmera cai no chão e a imagem escurece, com som contínuo de balas sendo disparadas.

De acordo com o repórter do serviço persa da BBC Kasra Naji, o comandante iraniano é Ismaeil Haidari, pertencente ao alto escalão das Guardas Revolucionárias.

A imprensa iraniana noticiou que Haidari morreu no mês passado na Síria, o que indica que as imagens são mais antigas. Na época, a imprensa também reportou que um cinegrafista iraniano havia morrido no mesmo incidente.

A oposição síria acusa soldados iranianos de estarem envolvidos no conflito, lutando ao lado das forças do regime. Mas o Irã sempre negou que tivesse soldados na Síria.

As Guardas Revolucionárias reconhecem ter enviado consultores, mas não combatentes. No mês passado, um ônibus repleto de iranianos foi apreendido e detido por diversas horas por forças da oposição. Alguns dos iranianos no ônibus pertenciam às Guardas Revolucionárias.

No final, o ônibus e seus integrantes foram usadas em uma troca de prisioneiros com o regime sírio.

O Irã apoia o regime sírio – tanto politicamente como com crédito financeiro. Na semana passada, o comandante das Forças Quds, Qassem Suleimani, disse a clérigos no Irã que seu país vai apoiar o governo de al-Assad "até o fim".

Notícias relacionadas