'Atirador disparou duas vezes contra mim', conta homem que ajudou grupo a escapar

  • 24 setembro 2013
Satpal Singh | BBC
Satpal Singh ajudou grupo a escapar e resgatou feridos

Satpal Singh estava dentro do shopping Westgate na capital queniana, Nairóbi, quando homens armados abriram fogo.

Ele conta em detalhes como ajudou um grupo de pessoas a se esconder e depois escapar e por que decidiu voltar ao prédio para resgatar feridos mesmo tendo sido alvejado pelos atiradores:

"Eu estava no segundo piso do shopping para uma reunião de negócios. Lá também ficava o café Java, onde as crianças participavam de uma competição de culinária, no estacionamento.

Por volta das 12h25 ouvimos tiros e estrondos vindo de baixo, perto da entrada principal. Então olhei (pelo estacionamento) para ver o que estava acontecendo.

Eu vi pessoas correndo em todas as direções, tiros sendo disparados para todos os lados e pessoas caindo no chão. Ninguém descia. Todo mundo só queria fugir daquele lugar.

Eu corri para baixo e, ao chegar ao primeiro andar, encontrei um policial armado. Disse para descermos para ver o que estava acontecendo e ver o que a gente podia fazer.

Cara a cara

Para a minha surpresa, ele não veio comigo. Então eu fui sozinho até a joalheria perto da entrada. Vi um homem caído no chão e outro na escada, sangrando.

Quando fui ajudá-lo, um somali veio correndo na minha direção. Ele disparou duas vezes. Ele vestia uma camisa branca e carregava uma bolsa enorme no ombro direito. E não estava mascarado, então estive cara a cara com ele.

Não sei como não me acertou. Ele carregava uma arma grande, parecia um AK-47, eu acho.

Eu voltei ao segundo andar e levei todo mundo para a entrada do cinema. Pedi aos seguranças para baixarem as persianas. Foi quando ouvimos os tiros de mais perto e fomos para a bilheteria e ficamos abaixados.

Dois homens começaram a atirar. Apesar de as persianas estarem abaixadas, as janelas eram de vidro, então pedimos aos seguranças que nos levassem para a saída de emergência mais próxima.

Café Java

A saída de emergência nos levou até o terraço do shopping e usamos materiais de construção, como botijões de gás e tijolos para trancar a porta.

Mais de mil pessoas estavam no shopping quando atiradores abriram fogo

Acho que éramos 40 pessoas lá em cima, entre grávidas, crianças e pessoas de várias origens.

Após 45 minutos, olhamos para o estacionamento, onde tinha ocorrido a competição, e vimos crianças baleadas e pessoas sendo levadas em segurança para a saída de emergência do Café Java.

Foi quando fomos até uma saída de emergência no terraço que passava pelo Café Java, no andar de baixo. Fomos descendo até chegar ao subsolo, onde as entregas são feitas.

Podíamos ouvir tiros e explosões, então assim que chegamos levamos as pessoas para os portões que davam na rua para que fugissem rápido.

Um ex-soldado britânico então me disse que havia feridos no segundo andar. Eu e outros homens decidimos voltar e carregamos no ombro mulheres e crianças feridas pela saída de emergência (até chegar ao subsolo).

Nesta hora eu só pensava que tinha de ajudar as pessoas e não me importava mais com o que poderia acontecer comigo. Só pensava em tentar controlar a situação e fazer o que fosse preciso para salvar as pessoas."

Ross e Elif esperavam o primeiro filho

Vítimas

Cidadãos de ao menos 12 nacionalidades morreram no ataque ao shopping Westgate, que chegou ao fim na segunda-feira após dois dias de enfrentamentos entre forças do governo e guerrilheiros do grupo militante islâmico somali Al-Shabab.

Entre as vítimas está o poeta Kofi Awoonor, que foi Embaixador de Gana para o Brasil e para Cuba nos anos 80 e representante de seu país junto às Nações Unidas entre 1990 e 1994.

O casal Ross Langdon e Elif Yavuz também morreram. Ele, de nacionalidade britânica e australiana, era arquiteto e trabalhava no leste da África em projetos de arquitetura sustentável. Ela, holandesa e grávida de oito meses, era especialista em malária e trabalhava para a Bill e Melinda Gates Foundation.

O presidente queniano, Uhuru Kenyatta, teve seu sobrinho e a noiva deste mortos no tiroteio. Entre as vítimas também estava Ruhila Adatia-Sood, uma apresentadora de rádio e TV bastante popular no Quênia. Ela era uma das apresentadores da competição infantil no estacionamento do segundo piso quando foi alvejada pelos atiradores.

Notícias relacionadas