Ex-piloto de F1 Maria de Villota é encontrada morta na Espanha

Maria de Villota, ex-piloto reserva de F1
Image caption Maria de Villota perdeu o olho direito no grave acidente que sofreu na Grã-Bretanha

A ex-piloto reserva de F1, Maria de Villota, foi encontrada morta nesta sexta-feira em um quarto de hotel em Sevilha, na Espanha.

Villota, de 33 anos, era reserva da equipe Marussia no ano passado, quando sofreu um grave acidente durante um teste na Grã-Bretanha. Ainda não há maiores detalhes sobre a morte de Villota. Ela estava em Sevilha para o lançamento de uma autobiografia.

O acidente de julho de 2012 provocou lesões na cabeça e no rosto de Villota. Ela estava a cerca de 322 km/h quando bateu na traseira de um caminhão usado para o transporte dos carros da escuderia.

Com o impacto, a piloto ficou 15 minutos imóvel, até ser resgatada por equipes médicas. Ela perdeu o olho direito.

Em fevereiro deste ano, ela recebeu permissão médica para poder voltar a correr.

Filha do ex-piloto de Fórmula 1 Emilio de Villota, ela passou pelas categorias Fórmula 3 e 24 Horas de Daytona.

Image caption Maria de Villota, em imagem antes do acidente de 2012, era filha de ex-piloto de F1

As equipes de F1 estão reunidas no circuito de Suzuka nesta sexta-feira, para os treinos livres do Grande Prêmio do Japão. Muitos ficaram chocados com a notícia.

"Completamente atordoado e devastado de ouvir que Maria de Villota faleceu. Meus pensamentos e orações estão com ela. Nós nunca vamos te esquecer", disse o piloto reserva da equipe Caterham, Alexander Rossi.

A equipe Mercedes divulgou uma nota oficial: "Nossos profundos pêsames para a família e amigos de Maria de Villota pela trágica notícia de seu falecimento. Sua coragem, determinação e esperança eram um exemplo e inspiração para muitos. Tristemente, sua falta será sentida no nosso esporte."

Notícias relacionadas