Resultados parciais apontam liderança de Bachelet em eleições no Chile

Bachelet (esq.) e Matthei (Reuters)
Image caption Michelle Bachelet (esq.) enfrenta Evely Matthei e outros candidatos

Resultados parciais da apuração dos votos nas eleições presidenciais no Chile sugerem que a ex-presidente Michelle Bachelet está liderando a disputa.

Bachelet, da coalizão de esquerda Nueva Mayoría, poderá competir em um segundo turno contra a principal oponente, a candidata do governo Evelyn Matthei, da coalizão de direita Alianza.

Apenas 20% dos votos foram apurados.

Bachelet conseguiu 46% destes votos e Matthei, uma ex-ministra do governo de centro-direita do presidente Sebastián Piñera, tem 25%.

Esta foi a primeira eleição presidencial com o novo sistema eleitoral, no qual a inscrição no processo eleitoral é automática, de acordo com a idade, mas o voto não é obrigatório.

Além do próximo ocupante do Palácio de La Moneda, sede do governo chileno, eles também vão eleger deputados e senadores do Congresso Nacional, "consejeros" (cargo equivalente ao de vereador) e se são a favor de uma nova Constituição.

O chile tem 13 milhões de eleitores e o segundo turno, se houver, deve ocorrer no dia 15 de dezembro.

Entre os outros candidatos que disputam a presidência, estão o economista Franco Parisi e o cineasta Marco Enríquez-Ominami.

Infância

Segundo analistas políticos, a disputa deste domingo ficaria concentrada entre a ex-presidente do Chile e Evelyn Matthei.

As pesquisas de intenção de voto colocavam Bachelet com pouco menos de 50% dos votos – patamar insuficiente para evitar um segundo turno – mas ainda 30 pontos percentuais a frente de Matthei.

As duas candidatas, no entanto, têm mais em comum do que a disputa pela Presidência do Chile.

Elas foram amigas de infâncias antes de seguirem rumos diferentes por causa da ditadura de Augusto Pinochet.

Tanto Matthei como Bachelet são filhas de generais que se viram em lados opostos na política quando Pinochet passou a comandar o Chile.

Nos anos 50, as candidatas eram vizinhas e costumavam brincar juntas na base aérea onde seus pais serviam.

Durante a ditadura Pinochet, o pai de Evelyn Matthei, Fernando, tornou-se responsável pela escola militar.

O pai de Bachelet, Alberto, morreu devido a um ataque cardíaco em 1974. Uma investigação concluiu que o general de 51 anos provavelmente morreu devido a problemas cardíacos agravados pelas sessões de tortura na academia militar.

Notícias relacionadas