Jovens são presos por dar 'abraços grátis' na Arábia Saudita

Jovem saudita oferece 'abraços grátis' em video publicado no YouTube (foto: YouTube)
Image caption Polícia religiosa da Arábia Saudita detém suspeitos por incentivar práticas exóticas

Dois homens foram presos na Arábia Saudita por oferecer "abraços grátis" nas ruas de Riad.

A polícia religiosa saudita deteve os dois jovens pelos crimes de "incentivar práticas exóticas" e ofender a ordem pública.

O movimento de abraços grátis propõe "iluminar" as vidas das pessoas ao oferecer abraços a estranhos.

O jovem saudita Bandr al-Swed publicou um vídeo no YouTube no qual aparece oferecendo abraços a homens desconhecidos que passam na rua. Mais de 1,5 milhão de pessoas assistiram ao vídeo.

"Após ver a 'Campanha de Abraços Grátis' em muitos países diferentes, decidi fazer isso em meu próprio país", disse Swed à TV al-Arabiya.

"Gostei da ideia e pensei que ela poderia levar felicidade à Arábia Saudita."

Sharia

Segundo o jornal britânico Independent, o vídeo inspirou outros dois jovens sauditas: Abdulrahman al-Khayyal e um amigo.

A dupla então foi a uma das principais ruas de Riad e começou a oferecer abraços, anunciando o "serviço" em um letreiro.

Os dois foram rapidamente presos pela polícia religiosa local, órgão da Comissão para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício encarregada de assegurar o cumprimento da sharia (lei islâmica) no país.

Os dois suspeitos foram libertados após assinar um documento prometendo que não voltariam a oferecer abraços na rua.

A polícia religiosa atraiu críticas por seu papel em um incêndio, em 2002, em uma escola em Mecca, no qual 15 meninas morreram. A polícia foi acusada de manter as crianças na escola durante o incêndio por elas não estarem adequadamente vestidas para sair.

Notícias relacionadas