Papa critica mercantilismo no esporte

Papa recebe ordem olímpica de Thomas Bach (AFP)
Image caption Papa recebeu Ordem Olímpica de Ouro

A mercantilização do esporte pode fazer com que seus valores espirituais se percam, opinou neste sábado o papa Francisco.

Diante de representantes olímpicos, o pontífice afirmou que o foco no lucro e na vitória a todo custo cria do risco de que atletas sejam reduzidos a "mero material de troca".

"O esporte é harmonia, mas se o dinheiro e o sucesso prevalecerem como objetivo final, essa harmonia se desfaz", declarou.

No cargo desde março, Francisco dá a seu papado um tom diferente do que seu antecessor, Bento 16, em diversos assuntos.

Recentemente, ele disse que a Igreja estava muito concentrada em pregar contra o aborto, o homossexualismo e a contracepção. E disse que não cabe a ele fazer julgamento moral de homossexuais.

Jogador de basquete na juventude e torcedor do time de futebol argentino San Lorenzo, Francisco passou os dois últimos dias encontrando-se com líderes esportivos - Joseph Blatter, presidente da FIFA, e Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional.

'Rúgbi é como a vida'

O papa também mencionou os valores espirituais dos esportes coletivos às equipes de rúgbi da Itália e da Argentina, que se enfrentarão em partida em Roma.

"O rúgbi é como a vida, porque estamos sempre buscando o gol. Precisamos correr juntos e passar a bola de mão em mão até conseguirmos", disse ele aos jogadores.

E, diante de delegados dos comitês olímpicos europeus no Vaticano, o pontífice disse que "quando o esporte é visto apenas sob aspectos econômicos e, consequentemente, pela vitória a qualquer custo, arriscamos reduzir os atletas a mero material de troca, de quem se extraem lucros".

Bach presenteou o papa com uma Ordem Olímpica de Ouro, dizendo que Francisco "entende a alegria que o esporte pode trazer ao espírito humano, bem como os valores mais profundos que é capaz de nutrir".

Notícias relacionadas