Roqueiro britânico assume tentativa de estupro de bebê

  • 26 novembro 2013
Ian Watkins (AFP)
Image caption Jurados não precisaram assisitr vídeos de abusos sexuais após confissão de cantor

O cantor da banda de rock britânica Lostprophets, Ian Watkins, se declarou nesta terça-feira culpado de uma série de acusações de pedofilia – incluindo uma tentativa de estupro de um bebê.

Watkins foi em 1997 um dos fundadores da banda, que acabou no mês passado e chegou a vender 3,5 milhões de discos em todo o mundo. Uma das músicas do grupo, Rooftops (A Liberation Broadcast), chegou até mesmo a ser incluída em um popular jogo de videogame lançado em 2008, Guitar Hero World Tour.

Ele estava sendo acusado juntamente com duas mulheres que também teriam participado dos crimes.

Em uma audiência prévia ao julgamento, o cantor se declarou culpado de tentativa de estupro e crime sexual contra uma criança de menos de 13 anos, entre outros crimes. Porém, não admitiu ter cometido o estupro. A promotoria aceitou essa solução para poupar o júri de assistir vídeos de violência sexual que constavam no rol de provas, dispensando a necessidade de um julgamento.

O réu também se declarou culpado de três acusações de agressão sexual envolvendo crianças, seis relacionadas a produzir ou possuir imagens de pedofilia e uma de possuir uma imagem pornográfica extrema envolvendo um ato sexual com um animal.

Segundo promotores, Watkins filmou episódios de abusos em vários hotéis em Londres e no País de Gales.

As provas contra ele foram obtidas em computadores, notebooks e telefones celulares. Algumas estavam armazenadas em servidores de internet.

'Ensinar bebês a usar drogas'

O assistente de promotoria Chris Clee afirmou que as duas mulheres acusadas cometeram abusos sexuais contra os próprios filhos e permitiram que Watkins também praticasse violência contra eles.

Entre as provas apresentadas no julgamento está uma mensagem de texto enviada por Watkins a uma delas dizendo: "se você me pertence, o seu bebê também é meu".

No julgamento, o cantor foi acusado também de planejar "ensinar" bebês a usar entorpecentes.

A polícia encontrou cocaína, metanfetamina e ácido em batidas em busca de provas contra Watkins.

Até agora o artista vinha negando as acusações.

Inicialmente ele disse à polícia que vinha sendo perseguido por um "fã maluco", que outras pessoas tinham acesso a seu computador e que estava sendo "vítima de uma campanha maliciosa".

A advogada de Watkins afirmou que seu cliente está sob os cuidados de um psiquiatra.

As sentenças dos réus só devem sair em uma nova audiência, marcada para 18 de dezembro.

Notícias relacionadas