Bom Senso pode fazer greve ainda em 2013

Protesto do Bom Senso FC no Brasil. Foto: AP
Image caption Movimento Bom Senso FC ainda pensa em fazer greve na última rodada do Brasileiro

Jogadores do movimento Bom Senso FC e a diretoria do clube pernambucano Náutico chegaram a um acordo na noite de sexta-feira para evitar o que seria a primeira greve da categoria no Brasil.

A paralisação não deve acontecer na rodada deste fim de semana, a penúltima do Campeonato Brasileiro, mas uma possível parada ainda este ano não está descartada.

O movimento Bom Senso FC, que já conta com a participação de mais de mil jogadores, ainda cogita a possibilidade de uma paralisação na última rodada do Brasileirão. O principal objetivo dos jogadores com o movimento – estabelecer um diálogo com as entidades que comandam o futebol brasileiro – ainda não foi atingido.

Um dos líderes, o zagueiro do Corinthians Paulo André, afirma que o movimento vai continuar com protestos durante os jogos. Eles pedem uma reformulação do calendário - com mais períodos de folga e pré-temporada - e "fair play financeiro" - um conjunto de regras que aumente a responsabilidade na gestão dos clubes.

"Os protestos são uma forma de a gente tentar demonstrar nossa insatisfação com o posicionamento da CBF [Confederação Brasileira de Futebol]", disse Paulo André à BBC Brasil. "Então nas próximas rodadas eles devem aumentar e nós não descartamos uma greve na semana que vem. A gente vai continuar assim até que se esgote o diálogo."

Bom Senso FC x Clube Náutico

O incidente envolvendo o Náutico acirrou os ânimos dos jogadores que fazem parte do movimento. O Náutico, que estava com todos os salários em dia, não conseguiu pagar os direitos de imagem do último mês a todo o time e acabou acertando o valor apenas com parte da equipe.

A atitude desagradou os atletas, que recorreram ao Bom Senso FC para ter o respaldo de todas as equipes da 1ª divisão nacional para uma possível greve no final de semana.

Na quinta-feira, os atletas da equipe pernambucana convocaram uma entrevista coletiva e, liderados pelo meio-campista e capitão Martinez, ameaçaram não entrar em campo na rodada deste fim de semana do Brasileiro se todos os jogadores não recebessem o dinheiro que o clube os devia.

Do outro lado, o presidente do Náutico, Paulo Wanderley, criticou duramente o capitão do time, Martinez, por ter "manipulado" os jogadores e exposto a situação ao público.

O dirigente chegou a chamar o meio-campista de "ex-atleta" e também atacou o movimento Bom Senso FC.

A polêmica esquentou ainda mais o clima no movimento que luta por melhorias no futebol brasileiro. Ainda na quinta, o movimento divulgou uma nota oficial de apoio aos jogadores do time pernambucano e deixou clara a ameaça de greve, caso o Náutico não chegasse a um acordo com os atletas sobre o pagamento atrasado até sexta-feira.

Atletas 'como gado'

Líder e porta-voz do Bom Senso, o zagueiro corintiano Paulo André atendeu à reportagem da BBC Brasil na sexta-feira em meio ligações e troca de mensagens pelo celular, na tentativa de encontrar uma solução para o caso do Náutico.

A atitude do presidente do clube pernambucano irritou o Bom Senso, e Paulo André foi incisivo ao comentar as declarações do dirigente.

"O presidente do Náutico falou grandes besteiras ontem. Tratou os atletas como gado, acha que os atletas não podem pensar, não podem se posicionar", disparou. "É triste ver nas mãos de quem o futebol brasileiro se encontra."

Image caption Paulo André trocou mensagens com grupo do Bom Senso para decidir situação do Náutico

Enquanto conversava com a BBC Brasil, Paulo André sempre ficava de olho em seu celular, se informando a todo minuto sobre a polêmica. Paulo André está em um grupo no Whatsapp (aplicativo de troca de mensagens instantâneas no celular) com mais de 150 jogadores que fazem parte do Bom Senso e é por meio desse grupo que as principais decisões do movimento são tomadas.

O zagueiro corintiano não escondia sua insatisfação com o rumo que as coisas estavam tomando. Assim que leu no celular a proposta que havia sido feita para os atletas do Náutico – de que o pagamento dos direitos de imagem seria efetuado no dia 9 de dezembro -, Paulo André não se deu por satisfeito.

"Tem que pagar antes! Dia nove já acabou o campeonato, aí eles podem enrolar", alertou.

O acordo, porém, acabou saindo, e os jogadores aceitaram a proposta do Náutico de fazer o acerto dos direitos de imagem um dia depois do término do Campeonato Brasileiro. O time pernambucano divulgou um comunicado esclarecendo o ocorrido.

"Não existe salário atrasado. Apenas direito de imagem de oito jogadores. O que não justifica a falta de profissionalismo e paixão dentro e fora de campo. (...) É com respeito, que pedimos aos torcedores alvirrubros, que analisem com cuidado a situação. Informações maldosas não podem de forma alguma, influenciar o que é correto".

Horas depois, o Bom Senso FC também divulgou uma nota oficial dizendo que os jogadores não fariam a greve neste final de semana, mas seguiriam com os protestos para atingir os objetivos do grupo.

O problema pontual com os Náutico foi resolvido, mas a possibilidade de greve do Bom Senso ainda não foi descartada.

"Nossa maior dificuldade é essa, no diálogo e na discussão, porque quando a pessoa acredita que você não tem nada a acrescentar ou ela não tem argumentos para falar com você, fica realmente muito complicado você conseguir um produto de maior qualidade", explicou Paulo André.

Representantes do Bom Senso chegaram a se reunir duas vezes com a CBF (Confederação Brasileira de Futebol), mas ainda não obtiveram respostas efetivas sobre as mudanças que propõem.

Notícias relacionadas