Cientistas desenvolvem teste para mostrar chance de sucesso no casamento

Image caption O "teste do amor" pode prever se um casal terá sucesso no casamento

Cientistas desenvolveram um novo "teste do amor" que eles acreditam ser um melhor indicador sobre o sucesso de um relacionamento do que as boas intenções dos recém-casados.

A pesquisa, divulgada na publicação científica Science, sugere que uma resposta subconsciente à uma imagem do parceiro, ou da parceira, pode ser um indicador sobre o futuro do casamento.

O autor do estudo, James McNulty, da Universidade a Florida, diz que o novo teste é um melhor medidor do verdadeiro sentimento entre os recém-casados, do que o eles dizem para outras pessoas, ou até admitem para eles mesmos.

"Essas respostas subconscientes parecem ser bastante poderosas em indicar se as pessoas vão continuar felizes", ele disse à BBC.

O time de cientistas entrevistou 135 casais recém-casados logo após a cerimônia de casamento.

Os pesquisadores pediram que eles avaliassem seus casamentos com adjetivos positivos e negativos, como "bom", "ruim", "satisfatório" e "insatisfatório".

Depois eles mediram a reação subconsciente, e intuitiva, em relação ao outro usando o intrigante "teste do amor".

O teste envolveu mostrar a um dos parceiros a fotografia do outro por menos de um segundo. Eles depois tinham que responder o mais rápido possível se palavras como "ótimo", "incrível", "horrível", e "assustador" eram palavras positivas ou negativas.

A velocidade com que eles respondiam era um indicador dos seus verdadeiros sentimentos, dizem os pesquisadores.

O teste é baseado no princípio psicológico de associação. A teoria é que depois de ver rapidamente uma foto do parceiro, o estado de espírito do recém-casado é positivo ou negativo.

Incrível ou assustador?

Se eles se encontram em um estado de espírito positivo eles vão identificar palavras positivas como "ótimo" e "incrível" mais rapidamente do que palavras negativas como "assustador e horrível" e vice versa.

McNulty e seu time descobriram que as respostas conscientes dos recém-casados sobre seus relacionamentos eram sempre positivas e felizes, como se pode imaginar.

Mas as reações intuitivas em resposta ao teste do amor variavam consideravelmente.

Os pesquisadores entrevistaram os casais a cada seis meses ao longo dos quatro primeiros anos de casamento.

Eles descobriram que em média, aqueles que tinham uma reação intuitiva negativa eram mais propensos a dizer que estavam infelizes no casamento. Alguns até se divorciaram.

"Todo mundo quer acreditar que está em um bom relacionamento, e as pessoas podem se convencer que estão - mas essas reações intuitivas são melhores indicadores de como as pessoas se sentem em relação a seus relacionamentos", disse McNulty.

De acordo com os autores, o teste mede a presença ou ausência de sentimentos negativos.

"As pessoas podem ter amor e sentimentos negativos ao mesmo tempo, e esse teste provavelmente toca nos dois pontos", disse o pesquisador.

Mas McNulty fez questão de reforçar o fato de que a pesquisa não está desenvolvida o suficiente para ser oferecida para pessoas antes de se casarem.

E ressaltou que o que os cientistas encontraram foi uma tendência, e que alguns dos casais que tiveram uma resposta negativa permaneceram felizes, enquanto outros que tiveram uma reação positiva se tornaram infelizes.

Para aqueles que estão prestes a se casar, McNulty disse que a reação intuitiva pode ser algo a se levar em consideração.

"Eu não acho que a resposta intuitiva sobre como se vê o parceiro seja o único fator considerado, mas deve ser um deles."

Notícias relacionadas