Cinco fatos curiosos sobre a vida de Mandela

Nelson Mandela
Image caption Boxeador, corredor, advogado, ativista clandestino eram algumas das faces de Nelson Mandela

Nelson Mandela, que morreu nesta quinta-feira aos 95 anos, foi uma figura de renome internacional. Por isso, muitos detalhes de sua vida e de sua carreira são de conhecimento público.

Mas listamos cinco curiosidades que talvez você não saiba sobre o líder sul-africano.

1. Praticava boxe

Durante a juventude, Mandela gostava de praticar boxe e fazer corridas de longa distância. Durante os 27 anos que passou na prisão, treinava todas as manhãs.

"Não era a violência que me interessava no boxe, mas a sua ciência. Me intrigava ver como o corpo podia se mexer para se proteger, como se usa a estratégia para atacar e esquivar-se, como se controla o próprio ritmo", escreveu em sua autobiografia "Longo Caminho para Liberdade".

"O boxe é igualitário, No ringue, a patente, a idade, a cor e a riqueza são irrelevantes. Nunca participei de nenhuma luta paós entrar na política. Meu principal interesse era treinar. Me parecia que o exercício rigoroso era uma excelente solução para a tensão e o estresse. Depois de uma sessão extenuante de exercícios me sentia mais rápido, tanto mental como fisicamente”, escreveu.

No museu da família Mandela, no Soweto, é possível ver o cinturão de campeão mundial que ele recebeu de presente do boxeador americano Sugar Ray Leonard.

2. Seu nome original não era Nelson

Rolihlahla Mandela tinha 9 anos quando uma professora da escola primária metodista onde ele esudava, em Qunu, na África do Sul, lhe deu um nome inglês – Nelson – de acordo com o costume de dar a todas as crianças nomes de batismo cristãos.

Essa era uma prática comum na África do Sul e em outros países do continente, onde as pessoas recebiam nomes em inglês mas fáceis de pronunciar para os estrangeiros.

Mas Rolihlahla não é um nome comum na África do Sul. Ele é de língua Xhosa, um dos 11 idiomas oficiais do país, falado por aproximadamente 18% d apopulação. Ele significa literalmente “tirar um galho de uma árvore”, mas na linguagem coloquial corresponde a “encrenqueiro” ou “perturbador”.

Porém, Mandela também era chamado pelo nome de seu clã – Madiba – que os sul-africanos usavam com respeito.

3. Esqueceu-se dos óculos quando foi liberado da cadeia

A libertação de Nelson Mandela ocorreu em 11 de fevereiro de 1990, após anos de pressão política contra o apartheid. Naquele dia estava “espantado e um pouco alarmado”.

Mandela e sua então esposa Winnie foram levados para o centro da Cidade do Cabo, onde eram esperado por uma multidão.

Mas quando pegou o texto de seu discurso se deu conta de que havia esquecido os óculos e teve que pedir emprestado os de Winnie.

4. Se vestiu de motorista para fugir da polícia

Image caption Na clandestinidade, Mandela se disfarçava de motorista e jardineiro para viajar

Depois que seu partido Congresso Nacional Africano passou para a clandestinidade, a capacidade de mandela para fugir do serviço secreto lhe rendeu o apelido de “Pimpinela Negra”, em alusão a um romance chamado “Pimpinela Escarlate”, da escritora britânica baronesa Orcz, que trata de um herói que tem uma identidade secreta e sempre consegue escapar.

Mandela ganhou fama por ter se disfarçado de motorista, jardineiro e cozinheiro para viajar pelo país sem chamar atenção. Ninguém parece saber com certeza como ele foi finalmente capturado.

5. Tinha seu próprio escritório de advogados mas levou anos para obter seu diploma de Direito

Mandela estudou Direito de maneira descontínua durante 50 anos desde 1939. Um diploma de dois anos em leis obtido após seu título universitário lhe permitiu exercer a profissão. Em agosto de 1952, ele e Oliver Tambo estabeleceram o primeiro escritório de advogados negros da África do Sul: o “Mandela e Tambo”, em Johannesburgo.

Notícias relacionadas