Os sortudos e azarados do sorteio da Copa do Mundo

Sorteio da Copa (Reuters)
Image caption O Brasil fará seus jogos da primeira fase em São Paulo, Fortaleza e Brasília

O sorteio da Copa do Mundo de 2014 realizado nesta sexta-feira na Costa do Sauípe definiu a sorte das seleções no torneio. Mas além de traçar os conflitos e adversários, o sorteio também decidiu quem jogará aonde.

Em um país de dimensões continentais como o Brasil, esse é um fator essencial. E enquanto alguns times vão ter que se deslocar menos e enfrentar mudanças menores de temperatura entre uma partida e outra, outros já se preparam para enfrentar um verdadeiro pesadelo nesse sentido.

Os mexicanos e alemães que vêm para o país com vontade de conhecer destinos turísticos, além de se divertir com o futebol, tiveram sorte. Eles jogarão em Natal, Fortaleza, Recife e Salvador. A considerar o histórico do clima, eles devem gozar de bastante sol e calor e pouca chuva. Além disso, terão deslocamentos pequenos, alguns podendo ser feitos de carro.

Já o "inferno" da Copa do Mundo será vivido pelos torcedores de Honduras, que precisarão se deslocar grandes distâncias, mudando de fuso horário e bruscamente de temperatura.

No caso dos Estados Unidos, as distâncias serão o maior desafio. A equipe americana terá que viajar 5.569 Km entre Natal, Manaus e Recife para os três primeiros jogos da fase de grupos.

Confira alguns dos roteiros de diferentes torcedores na Copa do Mundo.

PARAÍSO TROPICAL

A Copa do Mundo ainda não começou, mas um título já foi decidido: o de torcedor mais sortudo da Copa, que vai para os mexicanos.

Os torcedores do México têm o privilégio de poucos nesta Copa: o de poder alugar um carro durante todo o torneio, já que as distâncias são razoavelmente pequenas – pelo menos em comparação com as distâncias que terão que ser percorridas por outros torcedores. Entre a estreia, contra Camarões, em Natal, e o segundo jogo, em Fortaleza, contra a seleção brasileira, uma viagem de carro duraria sete horas.

Como existe um período de cinco dias entre as partidas, é possível quebrar esta jornada em alguns dias, parando em paraísos ao longo do caminho, como as praias de Genipabu e Canoa Quebrada.

A última perna da viagem é mais longa, com deslocamento de quase dez horas de Fortaleza até Recife, na partida contra a Croácia. Mas ao menos haverá bastante tempo para rememorar o que deverá ter sido um dos pontos altos da campanha do México: o jogo contra a Seleção brasileira em Fortaleza.

Os alemães também têm o privilégio de fazer um "pacote Nordeste" durante a Copa do Mundo, mas dificilmente conseguirão fazer isso de carro, com deslocamentos longos entre Salvador, Fortaleza e Recife.

CURTAS E LONGAS DISTÂNCIAS

Apesar das distâncias razoavelmente curtas, os mexicanos não são os que menos viajarão na Copa. Ao total, eles percorreriam 1.320 quilômetros. Mas os torcedores da Bélgica, que está no grupo H, percorrem ainda menos que isso, com 880 quilômetros.

A diferença é que todo esse percurso é feito no Sudeste, visitando grandes metrópoles - e não o litoral. Eles fazem a primeira partida, contra a Argélia, em Belo Horizonte, fazem a segunda no Rio de Janeiro contra Rússia e aà terceira em São Paulo contra Coreia do Sul. A Argélia, por sua vez, também terá poucos deslocamentos, indo de Belo Horizonte, à Curitiba e depois Porto Alegre. É por isso que grandes seleções como a Espanha torceram - antes do sorteio - para encabeçarem o grupo H.

Image caption Alguns torcedores vão passar bastante tempo em aeroportos aguardando conexões

Já alguns técnicos desdenharam da possibilidade de jogar em Manaus. Os técnicos de Estados Unidos e Inglaterra, Jurgen Klinsmann e Roy Hodgson - disseram que queriam evitar o clima úmido da capital do Amazonas. Os dois, porém, acabaram justamente recebendo jogos na Arena Amazônia - a Inglaterra estreia em Manaus contra a Itália, e os Estados Unidos jogam na capital amazonense contra Portugal.

Mas outro fator também deve perturbar os torcedores dos Estados Unidos. Eles terão o maior deslocamento da Copa, precisando ir para a estreia em Natal, contra Gana, depois viajar a Manaus, para jogar contra Portugal e ainda a Recife para enfrentar a Alemanha na última rodada. Ao todo, serão 5.569 Km percorridos, somente na primeira fase.

PESADELO

Se os mexicanos são os mais sortudos, os torcedores de Honduras são os que enfrentarão os maiores desafios. Eles percorrerão grandes distâncias, com mudança de fuso horário e temperatura.

As duas primeiras partidas – contra França e Equador – acontecem em Porto Alegre e em Curitiba, com temperaturas médias de 10°C e 15°C.

A última partida do grupo, contra o cabeça-de-chave Suíça, é um desafio logístico para os torcedores, já que eles terão que viajar até Manaus.

A opção mais confortável e viável de viagem é partir das 8h de Curitiba, chegando à capital amazonense às 14h - com uma parada em Viracopos (aeroporto no interior de São Paulo) para troca de aeronave, com espera de duas horas no aeroporto. Essa é a opção mais rápida e mais barata - com preço de R$ 1.414 para uma pessoa.

Se essas condições já não parecem muito animadoras agora, elas devem piorar ainda mais. A BBC Brasil consultou esses preços e voos antes do sorteio, antes da explosão em demanda que deve começar a ocorrer a partir desta sexta-feira, com o sorteio da Copa definido.

Ao chegar em Manaus, os torcedores enfrentarão outro choque: as temperaturas médias de 33°C – um contraste grande com o inverno gaúcho e paranaense. Além disso, a cidade é a única da Copa que está em um fuso horário diferente.

BRASIL

Por ser o país-sede, o Brasil já tinha os palcos de seus jogos da primeira fase definidos mesmo antes do sorteio. A seleção brasileira estreará em São Paulo, na Arena Corinthians, depois irá a Fortaleza e, por último, a Brasília. No total, o deslocamento será de pouco mais de 4 mil Km.

Em termos de temperatura, os comandados de Luiz Felipe Scolari também não devem enfrentar grandes desafios na primeira fase - mesmo jogando em Fortaleza e Brasília, a seleção entrará em campo somente no fim da tarde, às 16h e 17h, respectivamente.

Os próprios adversários do Brasil na fase de grupos não assustam muito a equipe pentacampeã mundial. O Brasil estreará contra a Croácia – que não poderá contar com seu principal goleador, Mandzukic, que está suspenso pelo cartão vermelho tomado na última partida que disputou pelas eliminatórias -, depois enfrentará os rivais mexicanos - que venceram a seleção de Neymar, Lucas e companhia na final da Olimpíada de Londres, no ano passado - e finalizará a primeira fase contra Camarões.

Mas se, na teoria, a equipe canarinha não terá grandes dificuldades na primeira fase, as oitavas-de-final prometem um confronto digno de final.

Ficando em primeiro ou segundo lugar, o Brasil enfrentará o primeiro ou o segundo colocado do grupo B, que tem a atual campeã mundial Espanha e a vice Holanda, algoz da seleção em 2010.

Notícias relacionadas