Após fotos com Obama, premiê dinamarquesa 'vira celebridade' e sofre críticas

Helle Thorning-Schmidt, Barack Obama e David Cameron | Crédito: AFP
Image caption Dinamarqueses criticaram fotos de premiê durante velório de Mandela

Uma sequência de fotos que sugere tensão entre o casal Obama na cerimônia em memória do ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela, na terça-feira, transformou a primeira-ministra dinamarquesa, Helle Thorning-Schmidt, em celebridade instantânea e gerou críticas de seus opositores nas redes sociais da Dinamarca.

As imagens mostram Thorning-Schmidt tirando fotos de si mesma sorrindo ao lado do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e do primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, no evento no estádio FNB (antigo Soccer City) em Johannesburgo.

Especulou-se que o trio estaria sendo observado com reprovação pela esposa do mandatário americano, Michelle. Outra foto sugere que a primeira-dama teria trocado de lugar com o marido e se sentado ao lado da premiê dinarmaquesa.

No entanto, o autor da foto, Roberto Schmidt, afirmou que Michelle Obama aparentava estar de bom humor.

"Fotos podem mentir. Na realidade, segundos antes (da foto) a primeira-dama estava brincando com todos à sua volta, incluindo Cameron e Thorning-Schmidt. Seu olhar sério foi capturado por acaso", disse o fotógrafo no blog da agência de notícias AFP.

O episódio foi notícia nos principais tabloides do mundo nesta quarta-feira. Na Dinamarca, opositores de Thorning-Schmidt criticaram o comportamento da mandatária, classificado como "constrangedor" e "inapropriado" para um velório.

Em entrevista ao jornal dinarmaquês BT, Magnus Heunicke, porta-voz do Partido Social-Democrata, a legenda da premiê, afirmou que "não entendia a reação negativa" do público ao comportamento de Thorning-Schmidt.

"Acho que as pessoas têm de se preocupar mais com o que estão fazendo, até mesmo porque todos fazemos isso (tirar fotos com celular). Eu realmente acredito que a imagem desses três líderes juntos mostra uma ótima química e é positiva", afirmou Heunicke.

'Homenagem alegre'

Questionado se considerava inadequado o comportamento da premiê em um velório, o porta-voz ressaltou que o evento ocorreu "em um estádio, não em uma igreja".

"Foi uma cerimônia muito bonita, mas também uma homenagem alegre a Nelson Mandela. Como um comentarista de TV falou, a atmosfera se assemelhava mais a um jogo de futebol que um cortejo fúnebre", concluiu Heunicke.

Ouvida pelo mesmo jornal dinamarquês, uma consultora de moda afirmou que a premiê "ultrapassou os limites".

Image caption Michelle Obama parece observar com reprovação conversa entre seu marido e premiê dinamarquesa

"É claro que eles (Thorning-Schmidt e Obama) podem trocar sorrisos e rir juntos, uma vez que não é a primeira vez que se veem, mas precisavam ter em mente que aquilo era um velório e não uma festa ou uma apresentação musical", assinala Inge Correll.

O fotógrafo Roberto Schmidt também defendeu a atitude dos chefes de Estado. "À minha volta no estádio, os sul-africanos estavam dançando, cantando e rindo para honrar seu líder que se foi. Era uma atmosfera de carnaval, nem um pouco mórbida", afirmou.

Em entrevista à imprensa dinamarquesa após a divulgação das fotos, a premiê afirmou que ela e o presidente americano "falaram sobre tudo".

"Nós falamos sobre nossos filhos e o Natal, além de política", afirmou Thorning-Schmidt.

"Nós continuamos o papo que tivemos quando nos encontramos em Estocolmo (na Suécia) e nos divertimos muito", acrescentou a premiê.

'Gucci Helle'

Até então figura desconhecida no alto escalão da política internacional, a premiê dinarmarquesa costuma chamar atenção por onde passa pela beleza.

Loira de olhos azuis, Thorning-Schmidt é a primeira mulher a assumir o cargo da Dinarmarca e está no posto desde outubro de 2011.

Apelidada de "Gucci Helle", em alusão ao seu gosto por grifes de luxo, Thorning-Schmidt também é líder do Partido Social Democrata dinamarquês, cargo que ocupa desde 2005.

Nora do ex-líder do Partido Trabalhista da Grã-Bretanha, ela tem dois filhos e já esteve envolvida em outras polêmicas. Em 2010, o marido da premiê foi investigado por evasão de divisas, mas o inquérito acabou suspenso por falta de provas.

Notícias relacionadas