Talebã fala à BBC e promete voltar ao poder no Afeganistão

  • 16 janeiro 2014
Foto: BBC
Image caption Porta-voz do Talebã disse que tropas estrangeiras estão acuadas em suas bases

Um porta-voz do Talebã disse que o grupo extremista já controla várias áreas do país e que deve voltar ao poder, vencendo as forças da Otan (aliança militar ocidental) que ainda permanecem no país.

Em entrevista ao editor de Internacional da BBC John Simpson, Zabiullah Mujahed disse que o Talebã estava "em toda a parte" e que as tropas estrangeiras estavam acuadas.

"Em áreas remotas, vemos apenas mujahedins do Talebã. Eles estão se movendo e tomando o controle de outros vilarejos."

"As forças estrangeiras... eles estão com tanto medo que estão confinados em suas bases."

Mujahed disse ainda que historicamente o Afeganistão sempre venceu seus ocupantes. "Temos certeza que eles serão derrotados."

Ele disse ainda que se o grupo voltar ao poder, não vai tornar mais ameno os métodos extremos de governar e de punir.

Ação inesperada

De acordo com o editor da BBC, é difícil acreditar em um retorno do Talebã na atual situação do Afeganistão.

No entanto, ele lembra que a tomada de Cabul pelo grupo, em 1996, também foi inesperada, e a eleição de um presidente corrupto e enfraquecido poderia fortalecer o grupo extremista.

Segundo Simpson, além de poder afirmar que o Talebã está vencendo a guerra e que eles voltarão ao poder logo, outro objetivo do porta-voz ao dar a entrevista era o de negar a existência de rachas no grupo a respeito da eleição de abril.

Ele negou que líderes do grupo estejam negociando com o governo – apesar de o governo vir insistindo nisso – e que haja qualquer ligação com candidatos que concorrem às eleições presidenciais, marcadas para abril, dizendo que o pleito era uma "farsa".

Retirada

A maior parte das tropas estrangeiras da Otan no Afeganistão vão deixar o país neste ano, passando o controle para o exército local.

Em dezembro de 2013, o comandante das tropas britânicas fez um alerta de que o Talebã poderia retomar alguns dos territórios após a saída dos militares estrangeiros.

O general Peter Wall disse que o Talebã poderia entrar em combate para recuperar terras que as forças da Otan "sofreram significantemente" para capturar.

Documentos da inteligência americana informaram que o Afeganistão poderia mergulhar no caos se Cabul não conseguisse assinar um acordo, determinando que um contingente americano permanecesse no país após 2014.

As forças da Otan transferiram a segurança de todo o país para o governo afegão em 2013, mas ainda há 97 mil soldados no país, sendo 68 mil deles americanos.

No entanto, o presidente Hamid Karzai tem atrasado a assinatura de um pacto de segurança que prevê que parte das tropas americanas permaneça no país após a retirada neste ano.

Notícias relacionadas