Site de ONG cobra promessas feitas por políticos em campanha

Esgoto aberto em Lahore. Foto: BBC
Image caption Em dez anos, políticos não atenderam demandas como saneamento em Lahore

Um site pioneiro no Paquistão, lançado por uma organização ligada a uma agência internacional de notícias, está monitorando as promessas feitas por políticos no país e cobrando resoluções.

O Truth Tracker foi lançado pela UPI Next, entidade sem fins lucrativos ligada à United Press International (UPI). Uma equipe de 25 repórteres espalhados por diversas partes do Paquistão vasculha manifestos, programas de campanha, discursos, sites de políticos e entrevistas à imprensa a caça de promessas.

O editor do Truth Tracker, Mubasher Bukhari, diz que o objetivo do projeto é melhorar a responsabilização – ou "accountability", um termo em inglês usado em política para descrever a obrigação que políticos têm de responder por seus atos e atender às necessidades da população.

"Nós rastreamos promessas, e continuamos relembrando aos políticos sobre seus compromissos com o povo. Nós também justificamos o porquê de algumas promessas não terem sido cumpridas e listamos os obstáculos."

Categorias

O site coloca as promessas em cinco categorias diferentes: quebradas, cumpridas, em andamento, ameaçadas e não iniciadas.

Na eleição do ano passado, o então candidato Nawaz Sharif prometeu casas a todas as famílias de baixa renda. Agora eleito, segundo o Truth Tracker, nada foi feito ainda. A promessa está na categoria "não iniciada".

Outro exemplo aconteceu na província de Punjab, onde a maior autoridade local, Shahbaz Sharif, prometeu explorar opções de energia alternativa em um esforço para pôr fim à crise energética que afeta o Paquistão.

O governo de Punjab começou a construir uma usina de energia solar no deserto de Cholistan. Para a Truth Tracker, a promessa está "em andamento".

O sociólogo Rasul Bakhsh Rais acredita que iniciativas como essa são essenciais para a democracia.

"No Paquistão, políticos têm atitudes diferentes quando estão no poder. Os cidadãos não devem esperar por cinco anos para poder questioná-los – isso precisa ser feito de forma contínua", diz ele.

"E agora isso pode acontecer com a ajuda de tecnologia da informação, através de ferramentas como sites."

No entanto, há muitos casos de pessoas que precisam ser atendidas pelos políticos, mas que não terão como acompanhar o seu trabalho pelo Truth Tracker.

Na cidade de Lahore, a BBC conversou com Tariq Mehymood, um homem que vive na vizinhança de Sitara, onde há esgoto a céu aberto. Há dez anos os políticos vêm prometendo mudanças, mas nada foi feito até hoje.

Mehmood disse que já perdeu a esperança de que será atendido pelos políticos.

"Agora as eleições vem aí, mas não estamos interessados. Tanto faz, porque sabemos que nada vai mudar."

Notícias relacionadas